8 coisas que você precisa saber sobre o teste de HIV

1 – O teste rápido de HIV não dói.
O teste rápido para HIV é praticamente indolor. Ele pode ser feito, inclusive, com fluído oral, em vez de sangue, em vários serviços de saúde.
Figura1

2 – É rápido mesmo.
Não é à toa que se chama teste rápido. O resultado demora, em média, meia hora para ficar pronto. Quase o tempo de uma rapidinha.
imagem_2

3 – Também não dói no bolso.
Sim, o teste é 0800 total. Você pode fazer o teste gratuitamente em qualquer serviço público de saúde especializado, ou seja, os CRT (Centro de Referência e Tratamento de DST); CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) e os SAE (Serviço de Assistência Especializada em HIV/Aids). Além disso, você pode incluir o teste de HIV no pedido de exames de rotina ao seu médico. E fique atento, você pode encontrar em vários pontos das cidades unidades móveis oferecendo o teste gratuitamente.
imagem_3

4 -Não é preciso contar pra todo mundo!
O teste de HIV é realizado individualmente e de modo a preservar total privacidade à pessoa. O resultado é sigiloso e somente será entregue e comentado com o paciente.
imagem4

5 – Um teste de HIV não vale pra vida toda.
Então [email protected], é preciso repetir o teste sempre que você se expor ao risco de infecção.
imagem5

6 – Não adianta fazer o teste logo depois de ter se exposto ao risco.
Há um intervalo de pelo menos 30 dias entre a infecção pelo HIV e a produção de anticorpos no sangue, que são detectados no teste. É o que chamam de janela imunológica. Por isso, caso tenha se exposto ao risco, a pessoa precisa esperar essa janela para fazer o teste e saber se foi infectada.
imagem6

7 – Mas calma, não se desespera!
Ao se expor ao risco de infecção, você tem até 72h para procurar um serviço de saúde, aqueles especializados, e iniciar o tratamento com antirretroviral por 28 dias. É o que chamamos de PEP (profilaxia pós-exposição), que diminui muito o risco de o vírus se desenvolver no seu organismo. Quanto mais rápido iniciar o tratamento, melhor!
imagem7

8 – Fazer o teste também é uma forma de prevenção.
Isso mesmo. Quanto mais gente fizer o teste e souber a sua sorologia, mais rapidamente as pessoas que forem positivas vão poder iniciar o tratamento com antirretroviral. Ao fazer corretamente o tratamento, a tendência é que a carga viral, ou seja, a quantidade de cópias do vírus que a pessoa tem no corpo, diminua drasticamente e fique indetectável. E a pessoa soropositiva que tem carga viral indetectável não transmite mais o vírus. Assim, a gente previne novas infecções.
bravo




Você pode gostar também

Saúde

Pesquisa revela relação entre o vírus Zika e perda auditiva em bebês

Estudo feito por pesquisadores de Pernambuco e publicado no último dia 30 na revista científica Morbidity and Mortality Weekly Report, vinculada ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças, maior

Saúde

País perdeu mais de 23 mil leitos na rede pública em cinco anos, diz CFM

Em cinco anos, o Brasil perdeu 23.565 leitos de internação hospitalar na rede pública do país, de acordo com dados divulgados hoje (17) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Entre

Saúde

Acupuntura na gravidez ajuda no alívio de enjoos e dores lombares

A acupuntura tem sido uma grande aliada das futuras mamães. Como alguns medicamentos e substâncias podem ser prejudiciais nos primeiros meses de gravidez, a prática da medicina chinesa é uma

Deixe seu comentário