André Vargas diz que não usou compra de casa para lavar dinheiro

O ex-deputado federal André Vargas (sem partido-PR) disse hoje (14), em depoimento à Justiça Federal, em Curitiba, que não usou a compra de uma casa em Londrina (PR) para lavar dinheiro. De acordo com denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF), Vargas declarou ter pago R$ 500 mil pelo imóvel, mas o antigo dono da casa disse que vendeu o bem por R$ 980 mil.

Para os promotores, há indício de lavagem de dinheiro na operação. Além do ex-deputado, respondem à acusação de lavagem de dinheiro sua esposa, Eidilaira Soares, e o irmão de André Vargas, Leon Vargas.

“Minha casa cabe perfeitamente na minha receita”, disse Vargas ao juiz Sério Moro. “A origem dele [valor para a compra do imóvel] são economias pessoais, venda de um sítio e as movimentações financeiras da minha conta, todas do meu salário”.

Vargas afirmou que declarou ter pago um valor inferior a pedido do vendedor. Segundo o ex-parlamentar, a escritura da casa está no nome de Eidilaira, porque parte dos recursos para a compra da casa vieram da venda de um sítio que era da esposa.

De acordo com o MPF, a negociação foi feita para lavar parte do dinheiro recebido por Vargas vindo de propina na negociação de contratos de publicidade com o governo, descoberto durante as investigações da Operação Lava Jato. Neste caso, André Vargas e Leon Vargas foram condenados, junto com o publicitário Ricardo Hoffmann, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Conforme as investigações, Vargas recebeu propina para a contratação de uma agência de publicidade com a Caixa Econômica Federal e o Ministério da Saúde.

Você pode gostar também

Polícia

Homem é preso após disparos de arma de fogo em Cordeirópolis

Um homem foi preso após efetuar disparos de arma de fogo dentro de sua residência neste domingo (18) no Jardim São Francisco, em Cordeirópolis. Segundo informações da Polícia Militar, o

Polícia

Polícia Civil do Rio encerra inquérito de estupro coletivo; sete são indiciados

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou hoje (17) que sete pessoas foram indiciadas no caso da adolescente que sofreu estupro coletivo no mês passado. A titular da Delegacia

Polícia

Ministro do STF manda soltar senador Delcídio do Amaral

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (19) a soltura do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), preso em novembro do ano passado. O parlamentar está custodiado

Deixe seu comentário