Aplicativo gratuito mede velocidade da internet móvel

A Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor lançou um aplicativo para ajudar o consumidor a conferir a velocidade de sua internet móvel. O programa permite que o consumidor acompanhe a quantidade de dados que gasta e a qualidade do serviço em todo o país.

Aplicativo gratuito vai controlar velocidade de navegação.

Aplicativo gratuito vai controlar velocidade de navegação.


O programa identifica qual operadora consegue fornecer o suporte necessário para o consumidor, com base na cobertura e na velocidade de conexão em cada local. Os usuários também podem fornecer informações para o aplicativo para colaborara com a avaliação das redes.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), dois padrões mínimos definem a qualidade na navegação pela internet: a velocidade não deve ser inferior a 40% do que foi contratado em nenhum momento e, na média mensal, não deve ser inferior a 80% do que foi estabelecido em contrato.

O serviço da Proteste é gratuito e está disponível para os sistemas Android e iOS.

PARTICIPE

Quer saber tudo sobre Limeira e região? Mande um WhatsApp para o número (19) 99501-5532 e passe a receber as principais notícias e informações sobre a cidade através do aplicativo. Faça parte do Alô e convide seus amigos para participar também!




Você pode gostar também

Tecnologia

Pesquisa mostra que 58% da população brasileira usam a internet

A 11ª edição da pesquisa TIC Domicílios 2015, que mede a posse, o uso, o acesso e os hábitos da população brasileira em relação às tecnologias de informação e de

Tecnologia

Cobertura 4G já chega a mais de 90% dos municípios, diz associação

O acesso às redes de telefonia móvel com a tecnologia 4G já está presente em mais de 90% dos municípios brasileiros. É o que mostra balanço apresentado hoje (19) pela

Tecnologia

Usuários reclamam em redes sociais de bloqueio do WhatsApp

Os serviços de troca de mensagens pelo aplicativo WhatsApp já estão bloqueados em todo o país por determinação do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto (SE). A medida vale

Deixe seu comentário