Após 27 anos, moradores do Odécio Degan recebem posse da casa

Márcia Gato Souza, 45, e Aílton Aparecido Teodoro de Souza, 45, foram uma das primeiras famílias a morar no bairro.  Foto: Divulgação

Márcia Gato Souza e Aílton Aparecido Teodoro de Souza, foram uma das primeiras famílias a morar no bairro.
Foto: Divulgação

Dona Haydee Hansen Calixto, uma ouvires de 59 anos, acordou às 3 horas de sábado, dia 2 de abril de 2016, e não conseguiu mais dormir. Enrolou o quanto pode na cama, levantou cedo e se arrumou para esperar mais um pouco por algo que há quase 20 anos lhe tira o sono, a propriedade de sua casa. Como ela, outras famílias reservaram a manhã de sábado para receber os termos de propriedade das mãos do prefeito Paulo Hadich, na primeira fase das entregas dos certificados de posse de 434 imóveis, que permitem que os moradores tenham escritura da casa. A entrega vai continuar até completar todo o bairro.

A ourives e o marido, Aparecido Calixto, 59, moram no Odécio Degan há 18 anos e criaram os três filhos ali, mas não tinham a posse da casa e sentiam-se inseguros com a situação. O imóvel de dois quartos foi inicialmente do sogro dela, antes de passar para o casal. “Já imaginou na nossa idade ficar sem casa. Ter casa é importante e te dá tranquilidade”, diz Haydee, que também trabalhou na comissão de moradores do bairro ajudando no processo de regularização. Ao receber o documento das mãos do prefeito, ela comemorou. “É uma vitória porque quantos prefeitos prometeram e não fizeram. O doutor Hadich falou em janeiro de 2013 que ia fazer a regularização e ele cumpriu”, destaca a moradora.

O sentimento de vitória também animava Márcia Gato Souza, 45, e Aílton Aparecido Teodoro de Souza, 45, que dizem terem sido uma das primeiras famílias a morar no bairro. Antes de receber o lote, o casal vivia em espaços adaptados com outros familiares e com grandes dificuldades. “Na época era só roça para gente trabalhar e em sete meses acabava, não dava para alugar casa. A gente veio para cá e não tinha nada no lote, a gente fez tudo aos poucos”, diz Márcia que atualmente trabalha como balconista e o marido é motorista. A casa deles que fica na antiga rua Sete tem dois quartos, sala, cozinha e garagem coberta, “Quando a gente foi morar junto só tinha o fogão e a cama. Não tinha nada aqui e tinha que pegar ônibus na pista. Para a gente é uma vitória esse documento”, disse Márcia.

O bairro Odécio Degan implantado há 27 anos estava irregular apesar de existir o loteamento no cartório, a divisão dos lotes não havia sido feita. Desde 2013, os técnicos das secretarias municipais de Habitação e de Urbanismo se empenharam na regularização do bairro, assim como os moradores. A comunidade participou de reuniões, juntou documentos e acompanhou o processo esperando pelo dia da entrega do documento, que está sendo feita em fases.

O motorista Sebastião Conti, 51, e a esposa Ana Neusa Martins Conti ainda sonham em rebocar e pintar a casa, mas antes disso querem garantir que estão investindo em algo seu. “Ter uma casa é importante independente do lugar em que ela fica”, disse Sebastião, que levou para casa o documento que permitirá finalmente fazer a escritura de sua casa.

Construindo cidadania

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O prefeito Paulo Hadich lembrou que uma moradora com um pedaço de papel, ajudou a levantar toda a história do Odécio Degan o que permitiu o início do trabalho de regularização. Antes, quando era delegado, o prefeito percebeu que a região precisava de investimentos sociais, por isso desenvolveu lá o projeto Este Bairro é Meu para incentivar o sentimento de pertencimento da população. “Foi um trabalho de construção, mas quem fez tudo isso foram vocês, que participaram das reuniões e se mobilizaram para isso acontecer”, disse Hadich.

Membro da comissão de moradores, Jovino Donizete de Moraes afirma que valeu a persistência da comunidade durante esses anos, por isso se sente com a sensação de dever cumprido perante os moradores.

O secretário de Habitação, Felipe Penedo, disse que a regularização do Odécio Degan é motivo de orgulho e o selamento de uma grande etapa. “A regularização foi uma missão que o prefeito nos deu quanto assumiu e que completamos hoje, o que nos orgulha muito.”

A administração Paulo Hadich está regularizando aproximadamente 3.500 lotes em seis bairros. Alguns deles esperam há décadas pelo processo. A regularização teve diversas etapas, inclusive de criação de legislação adequada que permitisse o procedimento.

Preocupado com a questão da habitação popular, o vereador Sidney Pascotto, o Lemão da Jeová Rafá (PSC), acompanhou a entrega dos documentos e lembrou das dificuldades dos 27 anos de espera, além de parabenizar a comunidade pela conquista. “O trabalho em habitação não é fácil, mas conseguimos. Hoje o imóvel é de vocês para fazerem o que quiserem com legalidade”, afirma o parlamentar.

Escrito por: Alessandra Morgado

Você pode gostar também

Limeira

Prefeitura vai estudar atendimento 24h no Centro de Saúde Bucal

Após pedido do vereador André Henrique da Silva (Tigrão) a Prefeitura Municipal vai realizar um estudo de demanda, orçamento e disponibilidade financeira para que o Centro de Saúde Bucal mude

Limeira

Eventos comemoraram o Dia Nacional do Livro Infantil esta semana

Alunos das escolas municipais de Limeira na última terça-feira (19), participaram de contação de histórias e realizaram apresentações de danças em homenagem ao escritor de literatura infantil Monteiro Lobato, para

Limeira

Mandante do assassinato de Dorothy Stang é transferido para hospital

O fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, de 48 anos, conhecido como “Taradão”, condenado como mandante do assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang e cumprindo pena no Centro de Recuperação Regional de

Deixe seu comentário