Brasileira é morta por engano pela polícia portuguesa

Brasileira é morta por engano pela polícia portuguesa

Uma brasileira foi morta por engano, pela polícia portuguesa, na madrugada de ontem (15), em Lisboa. Ela estava em um carro que foi confundido com um veículo que fugia da polícia, após um assalto a um caixa automático.

De acordo com a polícia portuguesa, o homem que estava dirigindo não parou o carro, após ordem dos agentes, e tentou atropelá-los. A mulher, que estava no banco do carona, tinha 36 anos e foi atingida no pescoço.

De acordo com a imprensa portuguesa, o carro foi alvejado por mais de quarenta tiros. Os policiais envolvidos foram denunciados e serão investigados. Após análise da bala que ficou alojada no pescoço da vítima, será possível identificar o agente do disparo.

A Embaixada do Brasil em Lisboa emitiu nota em que lamenta o ocorrido:

“Tomou-se conhecimento, hoje, 16 de novembro, de que a pessoa morta em ação policial durante a madrugada de ontem, em Lisboa, era nacional brasileira. A Embaixada lamenta profundamente o ocorrido.

A família da vítima já entrou em contato com o Consulado-Geral do Brasil em Lisboa, que prestará o apoio cabível.

A Embaixada acompanha atentamente o caso e aguarda novas informações a respeito do inquérito com vistas a determinar o curso de ação a ser tomado.”

Você pode gostar também

Polícia

Problema no sistema elétrico faz veículo pegar fogo na Limeira-Piracicaba

Um veículo Fiat Uno pegou fogo no quilômetro 113 da Rodovia Deputado Laércio Côrte, sentido Limeira-Piracicaba. Segundo a Intervias, o motorista do veículo notou uma falha no sistema elétrico e

Polícia

Homem fica ferido após incêndio em oficina no Nova Suíça

Um homem foi levado a Santa Casa com graves queimaduras após um incêndio em uma oficina mecânica na Rua Luiz Antonio Breda, no bairro Nova Suíça, na noite desta terça-feira

Polícia

PF prende cinco pessoas acusadas de desvio de dinheiro público na área esportiva

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (6) a operação Águas Claras, que apura um esquema de desvio de recursos públicos repassados à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), envolvendo cerca

Deixe seu comentário