Capacitação aborda questão da violência contra mulher

Capacitação aborda questão da violência contra mulher

Servidores da Prefeitura de Limeira, representantes da sociedade civil organizada, professores e estudantes participaram nesta quarta-feira (7), no Anfiteatro do Isca Faculdades, de uma capacitação voltada à humanização do atendimento às mulheres vítimas de violência. A iniciativa é do Ceprosom (Centro de Promoção Social Municipal), em parceria com a Rede Elza Tank de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, e ocorreu no dia em que a Lei Maria da Penha completa 13 anos de existência.

A presidente do Ceprosom, Maria Aucélia Damaceno, destacou a importância dessa segunda formação – a primeira ocorreu em junho e outras duas estão previstas até o fim do ano. “Nossa ideia é que a prefeitura e demais instituições públicas tenham cada vez mais profissionais qualificados para acolher essas mulheres. Nosso objetivo é que esses servidores conheçam a Lei Maria da Penha, saibam os serviços disponíveis no município e possam fornecer atendimento e orientações adequadas”, frisou.

Os avanços na garantia de direitos em Limeira também foram mencionados por Aucélia, sobretudo quanto à adoção de políticas públicas que estão servindo de referência. “O trabalho que Limeira desenvolve nessa área vem despertando o interesse de pesquisadores e outros municípios”, frisou. Como exemplo, Aucélia citou o Botão do Pânico, a Patrulha Maria da Penha, o atendimento prestado pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), a Casa da Mulher (abrigo para mulheres vítimas de violência) e a própria consolidação da Rede Elza Tank. “Os episódios recentes de violência contra a mulher em todo País demonstram a necessidade de construção de uma sociedade mais humanizada e mais sensível à garantia de direitos. Nesse aspecto, o governo Mario Botion tem dado todo aporte necessário para implantação de políticas voltadas a esse público”, salientou.

Durante o evento, o público presente assistiu às palestras: “Violência contra a mulher”, com a psicóloga e especialista em Psicologia Clínica Comportamental, Amanda Abreu Silva; “Direitos e Garantias Fundamentais da Mulher”, com a defensora do Núcleo dos Direitos do Idoso e da Pessoa com Deficiência e mestre em Direito Constitucional pela PUC/SP, Lúcia Thomé Reinert; e “Humanização do atendimento na perspectiva da Lei Maria da Penha”, com a jornalista, escritora e professora da Academia de Polícia Civil, Terezinha de Carvalho.

Sobre a Rede

A Rede Elza Tank de Atendimento Integrado às Mulheres em Situação de Violência foi criada pela Lei N° 5.452/14, de autoria da vereadora Erika Tank. Trata-se de um conjunto de serviços visando o trabalho articulado para garantir à mulher vítima de violência acesso integral e permanente aos seus direitos. “Essa capacitação constante mantém o foco nas necessidades de todas as mulheres nessa questão da violência, bem como nas melhores formas de abordagem e atendimento. Esse é o trabalho da rede: sincronizar e afinar todos os setores envolvidos, para que haja um padrão que acolha a mulher em um momento delicado, que precisa de orientação e amparo”, afirmou a vereadora.

Você pode gostar também

Polícia

PF prende auditor da Receita e empresário acusados de fraude no Carf

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta manhã (26), em São Paulo, o auditor da Receita Federal Eduardo Cerqueira Leite e o empresário Mário Pagnozzi, acusados de integrarem uma organização criminosa

Polícia

DIG prende acusado de matar ganhador da Mega Sena

Nesta quinta-feira (25), a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) esclareceu a morte de Arlei Rosa Silva, de 53 anos, o ganhador da Mega Sena. Um cabelereiro, que era inquilino da

Polícia

Homem é preso por agredir esposa no residencial Victor D´Andrea

O pintor W. A. V, de 30 anos, foi preso em flagrante na noite de terça-feira (24) após agredir sua esposa, E. S. S. V., de 26 anos, no residencial

Deixe seu comentário