Capacitação aborda questão da violência contra mulher

Capacitação aborda questão da violência contra mulher

Servidores da Prefeitura de Limeira, representantes da sociedade civil organizada, professores e estudantes participaram nesta quarta-feira (7), no Anfiteatro do Isca Faculdades, de uma capacitação voltada à humanização do atendimento às mulheres vítimas de violência. A iniciativa é do Ceprosom (Centro de Promoção Social Municipal), em parceria com a Rede Elza Tank de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, e ocorreu no dia em que a Lei Maria da Penha completa 13 anos de existência.

A presidente do Ceprosom, Maria Aucélia Damaceno, destacou a importância dessa segunda formação – a primeira ocorreu em junho e outras duas estão previstas até o fim do ano. “Nossa ideia é que a prefeitura e demais instituições públicas tenham cada vez mais profissionais qualificados para acolher essas mulheres. Nosso objetivo é que esses servidores conheçam a Lei Maria da Penha, saibam os serviços disponíveis no município e possam fornecer atendimento e orientações adequadas”, frisou.

Os avanços na garantia de direitos em Limeira também foram mencionados por Aucélia, sobretudo quanto à adoção de políticas públicas que estão servindo de referência. “O trabalho que Limeira desenvolve nessa área vem despertando o interesse de pesquisadores e outros municípios”, frisou. Como exemplo, Aucélia citou o Botão do Pânico, a Patrulha Maria da Penha, o atendimento prestado pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), a Casa da Mulher (abrigo para mulheres vítimas de violência) e a própria consolidação da Rede Elza Tank. “Os episódios recentes de violência contra a mulher em todo País demonstram a necessidade de construção de uma sociedade mais humanizada e mais sensível à garantia de direitos. Nesse aspecto, o governo Mario Botion tem dado todo aporte necessário para implantação de políticas voltadas a esse público”, salientou.

Durante o evento, o público presente assistiu às palestras: “Violência contra a mulher”, com a psicóloga e especialista em Psicologia Clínica Comportamental, Amanda Abreu Silva; “Direitos e Garantias Fundamentais da Mulher”, com a defensora do Núcleo dos Direitos do Idoso e da Pessoa com Deficiência e mestre em Direito Constitucional pela PUC/SP, Lúcia Thomé Reinert; e “Humanização do atendimento na perspectiva da Lei Maria da Penha”, com a jornalista, escritora e professora da Academia de Polícia Civil, Terezinha de Carvalho.

Sobre a Rede

A Rede Elza Tank de Atendimento Integrado às Mulheres em Situação de Violência foi criada pela Lei N° 5.452/14, de autoria da vereadora Erika Tank. Trata-se de um conjunto de serviços visando o trabalho articulado para garantir à mulher vítima de violência acesso integral e permanente aos seus direitos. “Essa capacitação constante mantém o foco nas necessidades de todas as mulheres nessa questão da violência, bem como nas melhores formas de abordagem e atendimento. Esse é o trabalho da rede: sincronizar e afinar todos os setores envolvidos, para que haja um padrão que acolha a mulher em um momento delicado, que precisa de orientação e amparo”, afirmou a vereadora.

Você pode gostar também

Polícia

Inusitado: 3 presos do regime semi aberto fogem do CR

Na terça-feira (9), três presos que cumprem pena no regime semi aberto no Centro de Ressocialização de Limeira fugiram após uma confusão interna no momento da contagem dos presos. Segundo

Polícia

Homem desaparecido no Belinha Ometto foi encontrado morto

A família reconheceu o corpo de João Batista Almeida, 49 anos, que estava desaparecido desde o dia 25 de julho, quando saiu de sua residência no Jardim Belinha Ometto e

Polícia

Forças Armadas fazem operação em rodovias e vias expressas do Rio

Militares do Exército, da Marinha e Aeronáutica fazem hoje (25) uma operação de abordagem a veículos em acessos a rodovias federais e em vias expressas do Rio de Janeiro. As

Deixe seu comentário