Condenado na Lava Jato, irmão de José Dirceu é preso em Ribeirão Preto

Condenado na Lava Jato, irmão de José Dirceu é preso em Ribeirão Preto

Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão do ex-ministro José Dirceu, foi preso na manhã de hoje (9), em Ribeirão Preto, interior paulista. Ele foi condenado a 10 anos e 6 meses de prisão pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em setembro do ano passado. Os desembargadores aumentaram a pena determinada em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro, de 8 anos e 6 meses.

No mesmo processo, foram condenados o próprio José Dirceu a 30 anos e 9 meses; o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, a 21 anos e 4 meses, e o ex-vice-presidente da Engevix Gerson de Mello Almada, a 29 anos e 8 meses.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), a Engevix foi uma das empreiteiras que formaram um cartel para fraudar licitações da Petrobras a partir de 2005. A empresa pagou propinas a agentes públicos para garantir contratos com a Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), a Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e a Refinaria Landupho lves (RLAM).

Luiz Eduardo de Oliveira foi acusado de receber para José Dirceu valores de propina repassados pela empreiteira. Um apartamento em seu nome recebeu, segundo o Ministério Público Federal, uma reforma paga pela empreiteira. Os procuradores afirmam que o ex-ministro era, na verdade, o dono oculto do imóvel.

Você pode gostar também

Política

Juiz de SP concede liminar que suspende, de novo, a posse de Lula na Casa Civil

Uma nova decisão liminar determinou hoje (18) a suspensão da nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República. A decisão é

Política

Câmara de Limeira afasta Tigrão por até 90 dias

Na noite de segunda-feira (08), a Câmara Municipal de Limeira aceitou o pedido da Corregedoria da Casa para afastar o vereador André Henrique da Silva (Tigrão), do PMDB, por até

Política

Deputados querem anular no STF votação da maioridade penal

Deputados contrários à redução da maioridade penal vão amanhã (7) ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedir a anulação da votação da proposta. É que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha

Deixe seu comentário