Defesa Civil registra queda de mais de 150 árvores após chuva em Limeira

Foto: Marcelo Alixandre

Foto: Marcelo Alixandre


O vento de até 72 km/h – segundo fotos de satélite do Cptec/Inpe (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/ Instituto Nacional de Pesquisas Especais) – e 17mm de chuva e granizo provocaram a queda de mais de 150 árvores na cidade, além de interdição de uma residência e estragos em prédios e áreas públicas, como o Parque Cidade da Criança que ficará fechado neste final de semana, dias 4 e 5 de junho, para retirada de galhos de árvores. A Defesa Civil continua com o trabalho de remoção de galhos e árvores nesta sexta-feira.

O balanço da Defesa Civil registrou ainda dois veículos atingidos (um no bairro Belinha Ometto e outro próximo ao Nosso Clube), além de um trailer no Cecap. Não houve pessoas feridas. O muro de uma casa na rua Hermes Fanelli, Parque Residencial Abílio Pedro, caiu. Os moradores foram para a casa de parentes. Parte do telhado do Centro Comunitário Geada foi destruído pela ventania.

>> Leia também: Vento forte e granizo atingem Limeira e parte da cidade fica às escuras
>> Leia também: Defesa Civil divulga balanço da chuva em Limeira

Com a interrupção do fornecimento de energia elétrica em vários pontos da cidade, incluindo CSF Cecap e CSF Nova Europa, cerca de 1 mil doses da vacina contra a gripe foram interditadas pela Vigilância Epidemiológica. O departamento encaminhará um relatório para a Divisão de Imunização da Secretaria Estadual de Saúde para verificar se as vacinas estão em condições de uso.

Aparecido Severo Xavier dos Santos, diretor da Defesa Civil, disse que as equipes estão trabalhando desde a noite de quarta-feira, mas aproximadamente 80% da cidade já voltou ao funcionamento normal, até as 16h de hoje. “Vamos continuar nas ruas até a retirada total de árvores e galhos que caíram”, informou Santos.

O diretor relatou que a chuva de granizo atingiu principalmente uma faixa da cidade começando pelos bairros Geada, Parque Nossa Senhora das Dores, passando pelo Cecap, até o Parque Hipólito.

O prefeito Paulo Hadich acompanhou os trabalhos de limpeza e recuperação da cidade desde quarta-feira à noite e recomendou atendimento prioritário à população.

O prefeito destacou que a Defesa Civil mobilizou cinco equipes para a limpeza e remoção de árvores, além do pessoal do Corpo de Bombeiros. “Graças a Deus não tivemos nenhuma vítima. Os trabalhos vão continuar até tudo ficar normalizado na cidade”, disse Hadich.

Sobre o evento climático
Fotos de satélite do Cptec/Inpe (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos/ Instituto Nacional de Pesquisas Especias) indicam ventos de até 70km/hora. De acordo com dados da estação meteorológica da FCA (Faculdade de Ciências Aplicadas) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que fica na área do Cotil (Colégio Técnico de Limeira), foram registrados 17 mm de chuva. A temperatura chegou a 27 graus às 13h de quarta-feira.

O professor da disciplina de hidrologia na Unicamp, Hiroshi Paulo Yoshizane, explicou que a grande variação térmica do dia – diferença entre a mínima e máxima – provocou formação de nuvens do tipo cumulonimbus, compostas por água e granizo e com grande desenvolvimento vertical. As descargas elétricas do final da tarde provocaram agitação no interior dessas nuvens provocando a chuva de granizo.

Yoshizane explicou também que o volume de chuvas dos últimos dias encharcou o solo, o que facilita a queda de árvores, que ganham peso extra quando molhadas pela chuva.




Você pode gostar também

Limeira

Sesc será integrado à comunidade, apontam arquitetos

Representantes do consórcio constituído pelos escritórios de arquitetura Art 3, Grupo SP e JGP Arq e a assessora técnica e de planejamento do Sesc, Márcia Aparecida Bonetti Agostinho Sumares, realizaram

Limeira

Dólar fecha em baixa de 0,78%, superando efeito da Turquia

A moeda norte-americana encerrou o dia (14) em baixa de 0,78%, cotada a R$ 3,8669, afastando os efeitos da crise turca, responsável por uma subida do dólar de 0,86% no

Limeira

Mãe de jovem afirma que a filha morreu por omissão de hospital

A equipe do Alô Limeira conversou nesta sexta-feira (22) com a mãe da jovem Graziela Martins, Neide Robinson Martins, e ela reafirmou que irá processar o hospital Frei Galvão de

Deixe seu comentário