Diretor do Whatsapp critica decisão judicial

O bloqueio dos serviços do Whatsapp, determinado ontem (2) pela justiça de Sergipe, foi criticado pelo diretor executivo do Whatsapp, Jan Koum, em sua conta no Facebook. “Mais uma vez milhões de brasileiros inocentes estão sendo punidos porque um tribunal quer que o Whatsapp entregue informações que nós repetidamente dissemos que não temos”, disse.

Ele explicou que o aplicativo faz a criptografia das mensagens para manter as informações dos usuários seguras. “Quando você manda uma mensagem criptografada, ninguém mais pode ler – nem mesmo nós”, alegou Koun. Além disso, o Whatsapp não guarda os históricos das conversas nos servidores, alegou.

Jan Koum disse que a empresa está trabalhando para reativar o serviço o mais rápido possível, e ratificou que o Whatsapp não tem intenção de comprometer a segurança de bilhões de usuários pelo mundo todo.

Ele já havia criticado anteriormente a justiça brasileira quando houve outro bloqueio do Whatsapp, em dezembro do ano passado.

Em nota, o WhatsApp disse que está desapontado com a decisão, que pune mais de 100 milhões de brasileiros que dependem do serviço.

O WhatsApp está bloqueado em todo o país desde às 14h de ontem, por determinação do juiz Marcel Montalvão, da comarca de Lagarto, em Sergipe. A medida vale inicialmente por 72 horas, mas, se houver uma liminar derrubando a decisão, o serviço pode ser retomado antes desse prazo.




Você pode gostar também

Tecnologia

Amazon Web Services premia Guiabolso como startup brasileira mais inovadora de 2015

No último dia 27 de maio (quarta-feira), a Amazon Web Services promoveu a primeira edição de seu Summit para Startups, com destaque para o AWS Case Award, premiação que escolheu

Tecnologia

Crianças mantêm o hábito de ler livros mesmo na era da internet

Não é novidade que exercício e boa alimentação ajudam a prolongar a vida. Mas o que muitos ainda não sabem é que o bom e velho hábito da leitura também

Tecnologia

Dia dos Namorados: ESET aponta seis golpes virtuais mais propagados nessa época do ano

Especialistas da empresa destacam que tende a crescer o número de ataques virtuais que utilizam essa data comemorativa para infectar os internautas Os cibercriminosos aproveitam datas comemorativas para disseminar golpes

Deixe seu comentário