Em posse de ministros, Temer diz que problemas no país exigem trabalho e união

Em posse de ministros, Temer diz que problemas no país exigem trabalho e união

O presidente Michel Temer deu posse hoje (2) aos novos ministros da Saúde, Gilberto Occhi, e dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira. Foi empossado também o presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio de Souza.

Occhi (PP) deixou a presidência da Caixa Econômica Federal para assumir a pasta da Saúde, até então comandada por Ricardo Barros (PP). Nelson Antônio, agora presidente da Caixa, era vice-presidente de Habitação do banco.

Valter Casimiro, diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), ficou no lugar de Maurício Quintella (PR).

Tanto Barros quanto Quintella deixaram os cargos para se candidatarem nas eleições de outubro. Ao longo desta semana, ministros que vão se candidatar deixarão o comando das pastas já que, de acordo com a legislação eleitoral, o prazo final para a chamada desincompatibilização do cargo é o dia 7 de abril.

Após empossar os ministros, Temer disse que os problemas do país exigem trabalho com união e diálogo e que, acima de tudo estão o país e as instituições. “Sabemos todos que o Brasil tem pressa e os problemas diante de nos exigem união e diálogo. Continuaremos a dedicar toda nossa energia com os novos ministros e presidente da Caixa para construir um país melhor para todos e que todos colaborem sem nenhuma tendência à separação. Acima de todos nós está o país, as instituições”, disse.

Temer disse ainda que preserva as instituições e a separação, independência e harmônia entre os poderes. “A mensagem que se deu a todos nós que somos servos da Constituição foi conduza-se pelos termos dessa Constituição. Não saia dela, pois sair dela é desviar-se dos propósitos democráticos”, disse.

Despedida e boas-vindas
Ao longo do discurso, Temer agradeceu o trabalho dos que hoje deixam o governo e deu boas-vindas aos novos comandantes dos ministérios e da Caixa.

Temer destacou as realizações da gestão de Ricardo de Barros no Ministério da Saúde, citando as melhorias na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), a contratação de médicos e a compra de ambulâncias.

Se dirigindo a Gilberto Occhi, Temer disse que ele conduziu processo importantes à frente da Caixa como a liberação de recursos das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) aos trabalhadores. Acrescentou que agora continuará a trabalhar a serviço do país no Ministério da Saúde. A Nelson de Souza, disse esperar que dê segmento ao trabalho de sucesso da Caixa.

Em relação a Maurício Quintella, disse que se mostrou um grande realizador em sua gestão e deu andamento a obras que estavam paralisadas. Para Valter Casimiro Silveira, disse que ele deverá levar adiante os esforços para a modernização da infraestrutura do país.

Ministros empossados
Após a cerimônia de posse, o novo ministro da saúde, Gilberto Occhi, afirmou que vai focar na gestão eficiente dos recursos da saúde pública. Já o dos Transportes, Valter Casimiro Silveira, disse que vai dar andamento à gestão anterior com foco na entrega de obras paralisadas e projetos estratégicos vinculados ao Programa Avançar.

O presidente da Caixa, Nelson Antônio, enfatizou o caráter público do banco e disse que buscará resultados financeiros, sociais e ambientais para atender as necessidades dos clientes mais desfavorecidos da sociedade.

Para os novos ministros, o governo tem muitas “vitórias” e méritos principalmente na área econômica. “São ganhos que ninguém quer perder, então isso é o que estamos defendendo. Eu defendo sempre a justiça, defendo sempre o que está previsto na Constituição, todos são inocentes até que se prove o contrário”, disse Gilberto Occhi.

Você pode gostar também

Política

Meirelles diz que reforma da Previdência não é questão de opinião, é necessidade

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (10), que a proposta de reforma da Previdência deverá seguir para votação no plenário da Câmara dos Deputados nas próximas semanas. Em

Política

Dilma se diz indignada com decisão sobre impeachment

Um dia após a Câmara dos Deputados aprovar a abertura do seu processo de impeachment, a presidente Dilma Rousseff disse que se sentiu indignada e injustiçada com a decisão. Ela

Política

Dirceu recebe perdão de pena no processo do mensalão

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (17) conceder ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu perdão do restante da pena de sete anos e

Deixe seu comentário