Greve e protestos com 14 mil pessoas paralisam Hong Kong

Greve e protestos com 14 mil pessoas paralisam Hong Kong

Motoristas, funcionários públicos, comissários de bordo e pilotos, entre outros, decidiram fazer greve, garantindo que telefonariam para dizer que estavam doentes. Assim começou hoje (5) a nona semana consecutiva de protestos em Hong Kong.

Mais de 14 mil pessoas de 20 setores laborais aderiram aos protestos. Vários ativistas invadiram as principais estações de Metrô, impedindo a partida das composições.

Os distúrbios também se verificaram no aeroporto internacional de Hong Kong, um dos mais movimentados do mundo e mais de 200 voos foram cancelados. A maioria dos voos cancelados é de operadoras locais como a Hong Kong Airlines e a Cathay Pacific.

Entre os manifestantes, encontram-se também funcionários públicos. Por outro lado, várias lojas e serviços também fecharam nesta segunda-feira por conta dos efeitos da paralisação.

A chefe do governo autônomo de Hong Kong, Carrie Lam, disse que os protestos estão empurrando a cidade para uma situação muito perigosa.

Carrie Lam acusa os manifestantes de provocarem a desordem pública num dia de greve geral que paralisou por completo os serviços de transporte.

A polícia de Hong Kong voltou a lançar gás lacrimogêneo sobre a população. Desde que os protestos começaram, há dois meses, já foram detidas mais de 400 manifestantes, que exigem a independência em relação à China.

Você pode gostar também

Mundo

Tiroteio próximo ao Parlamento em Londres deixa pelo menos dois mortos

Um tiroteio próximo ao Parlamento britânico em Londres hoje (22) pela manhã deixou vários feridos, informou a imprensa local. Duas pessoas jaziam no solo em frente ao Parlamento, segundo os

Mundo

Avião da Egyptair é sequestrado e desviado para Chipre

Um avião da companhia aérea Egyptair, com 81 passageiros, foi desviado hoje (29) por desconhecidos e, depois de sair da rota definida, aterrissou no aeroporto de Larnaca, na costa sul

Mundo

Trump assina lei para financiamento de viagens a Marte

O presidente Donald Trump assinou hoje (21) uma lei que estabelece planos de financiamento para a exploração espacial com o objetivo de, eventualmente, enviar pessoas a Marte. A lei libera

Deixe seu comentário