Gripe H1N1 é confirmada em criança de 6 anos

Na terça-feira (22) foi confirmado o primeiro caso da gripe H1N1 em Limeira neste ano. A paciente, uma criança de seis anos, estava internada na Santa Casa. Ela já teve alta e passa bem.

Segundo a enfermeira chefe da Vigilância Epidemiológica de Limeira, Amélia Pereira da Silva, não há como precisar como a doença foi transmitida, como a criança não viajou, ela deve ter tido contato com alguma pessoa que possuía o vírus, mas que não desenvolveu a doença ou então passou por uma gripe comum.

“Pessoas mais jovens são mais resistentes e passam tranquilo por uma gripe, sem gravidade. Os casos são mais suscetíveis em pessoas com a imunidade comprometida, como crianças, gestantes e idosos”, explica.

A transmissão da H1N1 se dá por via respiratória, principalmente em ambientes fechados, onde o vírus circula. Os sintomas são como da gripe comum, com maior incidência de dor de garganta e insuficiência respiratória, o que pode levar a internação, comenta Amélia.

A principal regra para se proteger do vírus é tomar a vacina, que estará disponível nos postos a partir do dia 30 de abril. Portadores de doenças crônicas, profissionais de saúde, crianças, gestante e idosos têm direito a vacina gratuitamente.

A enfermeira salienta que as demais pessoas devem manter medidas de higiene, principalmente com as mãos, que é a principal via de transmissão: “deve-se lavar as mãos constantemente e evitar ambientes aglomerados e locais fechados. Deixar sempre o ambiente arejado e cobrir a boca quando tossir ou espirrar. Pequenas ações como essas reduzem muito o risco de transmissão”.

Um dos tipos do vírus Influenza A, a H1N1 ficou conhecida em 2009 como gripe suína após uma epidemia mundial. Em Limeira, cinco pessoas morreram em 2013 após contraírem a doença. Amélia conta que em 2015 foram registrados três casos de Influenza A no município, mas não foi identificado nenhum dos seus tipos: H1N1 e H3N2.




Você pode gostar também

Saúde

Campanha em redes sociais ajuda a aumentar cadastro de doadores de medula óssea

De janeiro a junho deste ano, 3.950 pessoas no Distrito Federal já haviam se cadastrado como no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). O número ganhou força após

Saúde

Risco de morte por febre amarela pode ser identificado mais cedo

Pesquisa desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) e Instituto Emílio Ribas identificou quatro fatores que indicam risco de morte em pacientes com febre amarela. Idade avançada, contagem de neutrófilos

Saúde

Vírus bovino é encontrado em tecidos de bebês com microcefalia

Pesquisadores brasileiros encontraram partículas do vírus da diarreia viral bovina (VDVB), além do vírus Zika, em tecido cerebral de fetos e recém-nascidos com microcefalia. O Ministério da Saúde emitiu hoje

Deixe seu comentário