Grupo que reúne 12 países pede auditoria urgente sobre eleição na Venezuela

Grupo que reúne 12 países pede auditoria urgente sobre eleição na Venezuela

Os governos do chamado Grupo de Lima, formado por 12 países da América, incluindo o Brasil, divulgaram hoje (17) um comunicado pedindo a realização urgente de uma auditoria independente na eleição da Venezuela, ocorrida no último domingo (15). Segundo o grupo, a auditoria deve ser acompanhada por observadores internacionais especializados e reconhecidos, “a fim de esclarecer a controvérsia gerada sobre os resultados da referida eleição e conhecer o verdadeiro pronunciamento do povo venezuelano”.

A nota também aponta que as eleições, para eleger governadores dos estados, foram caracterizadas por diversos obstáculos, atos de intimidação, manipulação e irregularidades, que colocam em questão os resultados do processo. O Grupo de Lima é formado pelos governos de Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru.

Após as eleições para eleger governadores na Venezuela, os opositores questionaram os resultados, que indicaram a vitória dos candidatos governistas em 17 dos 23 estados, O governo dos Estados Unidos também questionou a legitimidade das eleições.

Acordo

O Ministério das Relações Exteriores divulgou hoje (17) a realização de um acordo entre os governos do Brasil, da Índia e da África do Sul sobre o Fundo IBAS para o Alívio da Pobreza e da Fome, com objetivo de financiar projetos de cooperação para o benefício de populações de países em desenvolvimento. Segundo o acordo, cada país vai contribuir anualmente com US$ 1 milhão para o fundo.

Você pode gostar também

Mundo

Apagão em computadores suspende voos

A companhia aérea norte-americana Delta Airlines anunciou hoje (8) a suspensão de todos seus voos em todo o mundo por conta de um problema operacional em seu sistema de informática.

Mundo

Para promover segurança na web, China prende 15 mil internautas

O governo da China prendeu mais de 15.000 internautas sob a acusação de colocar em risco a segurança do país. A ação ocorreu após a veiculação de informações referentes às

Mundo

Atirador de Las Vegas tinha um total de 42 armas em casa e no hotel

Stephen Paddock, o homem que deixou 59 mortos e mais de 500 feridos em um tiroteio ocorrido na noite do último domingo (1º) em Las Vegas, tinha um total de

Deixe seu comentário