A importância do respeito ao outro

Vivemos tempos complexos, tempos de intolerância, tempos de verdades absolutas, tempos de certezas incontestáveis.

Vivemos a era da intolerância e da bestialidade, aprender com o outro tornou-se sinônimo de fraqueza. Só podemos ensinar. Devemos ter seguidores. Sermos admirados e nunca frustrados.

Seres humanos que somos deveríamos buscar a constante evolução e esta está intimamente ligada ao respeito, ao entendimento, ao não julgamento. Devíamos, há muito tempo ter aprendido o que é ter empatia e ser empático. Nos cansamos de escutar: “Ah, eu até entendo, mas falei mesmo. Nem ligo!”

Como assim, gente?!
O que te dá o direito de ofender, agredir alguém sob qualquer que seja a justificativa ou o pretexto?
Escutamos mulheres contarem que diante de situações de conflito são logo chamadas de ‘vagabundas’, ‘vadias’ e assim por diante. Homens em situação parecida são chamados de ‘gays’ e ‘viados’.

O que pretendemos com isso? O que buscamos com toda esta agressividade e intolerância? O que ensinamos às nossas crianças?

Não, não digo para sermos passivos frente ao erro do outro, mas sim, respeitosos, empáticos e que consigamos dialogar, acima de tudo.

O diálogo abre portas, leva ao entendimento, enquanto a ofensa e a briga levam à ‘guerra’, causam brigas e, muitas vezes, consequências irreparáveis!

Pare, portanto, de ver seu umbigo apenas. Pare de ver as ‘mancadas’ do outro com você. Apenas pare! As coisas acontecem sempre e à toda hora e não são direcionadas a você ou para te magoar, prejudicar ou ofender!

Somos muitos no mundo. Vivemos cada um, um drama pessoal, temos nossas dores e medos. Temos cada um nossos problemas. Julgar, brigar e ofender ajuda em que?

Ao passo que dialogar, conversar e buscar entendimento, ajuda em que?




Você pode gostar também

Sophia Rodovalho

Se pode existir uma pior parte no BULLYING na escola, segue uma reflexão desnuda

Muito já foi dito e explicado sobre a prática do bullying, entretanto, vale começar a reflexão lembrando que ele é definido pela prática de atos violentos, intencionais e repetidos, contra

Sophia Rodovalho

Uma reflexão sobre nossa correria diária.

A vida corrida, o excesso de compromissos, a pressão diária e o trabalho, em grande parte das vezes consomem o nosso dia-a-dia. Corremos contra o relógio para não deixar nada

Sophia Rodovalho

Reflexões sobre a hipocrisia e assertividade

Recentemente um fato ocorrido com pessoas próximas me chamou atenção, não só pelo fato em si, mas pela ação das pessoas que nele estavam envolvidas, pessoas que carregam consigo a

Deixe seu comentário