Inflação acumulada em sete meses atinge 6,83%, a maior para o período desde 2003

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou – no acumulado dos últimos doze meses – o índice de 9,56%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IPCA acumula nos primeiros sete meses do ano elevação de 6,83%, acima da taxa de 3,76% de igual período de 2014, registrando o índice mais elevado para o período de janeiro a julho desde 2003, quando a taxa alcançou 6,85%.

A taxa de 9,56%, correspondente ao período de um ano, ficou acima dos 12 meses imediatamente anteriores, quando o acumulado atingiu 8,89%. Esse foi o total acumulado em 12 meses mais elevado desde novembro de 2003, quando atingiu 11,02%.

Em julho deste ano a alta do IPCA foi 0,62%, resultado 0,17 ponto percentual inferior à taxa de 0,79% da variação de junho.

O IPCA – produzido pelo IBGE – é o indicador oficial do governo para aferição das metas inflacionárias. O índice mede a variação do custo de vida das famílias com chefes assalariados e com rendimento mensal entre um e 40 salários mínimos.

Os dados foram divulgados hoje (7) pelo IBGE e indicam que a variação de julho foi a mais alta para o mês desde 2004, quando atingiu 0,91%.

Você pode gostar também

Nacional

Mercado financeiro aumenta estimativa de inflação para 4,03%

A pesquisa do BC passou por mudanças. Agora é possível saber, por exemplo, quantas instituições financeiras responderam a pesquisa sobre cada indicador. No caso da projeção para o IPCA neste

Nacional

Índice usado em contratos de aluguel acumula queda de 0,68% em 12 meses

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste de contratos de aluguéis, acumula queda (deflação) de 0,68% em 12 meses, de acordo com a primeira prévia de

Nacional

Receita diz que 3,5 milhões ainda não declararam Imposto de Renda

A poucas horas do fim do prazo, balanço da Receita Federal divulgado às 12 horas de hoje (29) indica que 3,5 milhões de contribuintes ainda não enviaram a declaração do

Deixe seu comentário