Limeira participa de lançamento do Observatório do Futuro, em São Paulo

Limeira participa de lançamento do Observatório do Futuro, em São Paulo

O secretário de Assuntos Jurídicos de Limeira, Daniel de Campos, participou hoje (31) do lançamento do Observatório do Futuro, que é um núcleo criado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo para monitorar a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Estado. O evento ocorreu em São Paulo. Também estiveram presentes a assessora jurídica Mariane Cover e o assessor de planejamento estratégico, Leonardo Furlan.

O evento contou com palestras sobre os ODS. Aprovados por lideranças mundiais, esses objetivos fazem parte da chamada Agenda 2030, uma série de metas definidas com a ajuda da ONU (Organização das Nações Unidas) para a promoção da governança democrática, preservação da natureza e erradicação da pobreza. Com isso, os 193 países-membros da entidade se comprometeram a desenvolver políticas públicas para estimular a prosperidade, levando em conta questões econômicas, sociais e ambientais.

O presidente do Tribunal, Sidney Beraldo, fez a abertura do evento e apresentarou o Observatório. No primeiro painel, especialistas falaram sobre a importância das metas da ONU. À tarde, foram discutidas formas de financiamento de atividades relacionadas ao processo de implementação desses marcos.

Você pode gostar também

Limeira

Biblioteca terá oficina de artes amanhã, na programação de férias

Crianças de 10 a 15 anos poderão participar amanhã (4) de oficina de artes com aquarela, na Biblioteca Municipal. A atividade será ministrada por Tânia Lima Theodoro, a partir das

Limeira

Prazo para recadastramento de veículos é prorrogado até 31 de agosto

A Secretaria de Mobilidade Urbana informa que o prazo para o recadastramento semestral para o transporte escolar foi prorrogado e pode ser feito até 31 de agosto. Segundo a pasta,

Limeira

Limeira tem quase 200 pessoas em situação de rua

Em Limeira é comum ver moradores de rua. Alguns vivem sob viadutos e outros invadem imóveis desocupados e fazem ali sua moradia, gerando queixas da população e vizinhos. De acordo

Deixe seu comentário