Limeira tem mais 3 mortes com suspeita de H1N1

Outras oito mortes suspeitas da doença aguardam resultado de exame.

Outras oito mortes suspeitas da doença aguardam resultado de exame.


Em dois dias, Limeira registou mais três mortes por H1N1. O primeiro caso foi no domingo (1º). A mulher de 63 anos estava internada no Hospital Unimed. Na segunda-feira, faleceu um homem de 34 anos e um de 46 anos, ambos internados no Hospital Medical. O último apresentava doença cardiovascular.

Os casos foram confirmados pela Vigilância Epidemiológica, por meio da Secretaria de Saúde de Limeira. Os exames foram encaminhados ao Instituto Adolfo Lutz e não há data para que eles fiquem prontos.

Até o momento, a Vigilância Epidemiológica tem confirmada uma morte de H1N1 (homem de 57 anos, óbito em 6 de abril), um caso confirmado da doença (menina de 6 anos, que teve alta e passa bem), 75 casos suspeitos de Influenza aguardando resultado e oito mortes suspeitas de Influenza também aguardando resultado de exame.

Vacinação
A campanha nacional de vacinação contra o H1N1 em Limeira foi normalizada nesta terça-feira (3) a partir das 12h30.
Podem se vacinar todos que tem doenças crônicas (com declaração médica), profissionais de saúde, gestantes, crianças a partir de 6 meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias e mulheres que tiveram bebê há no máximo 45 dias. A campanha segue até o dia 20 de maio e é considerada a melhor forma de se prevenir do vírus da H1N1.

Você pode gostar também

Saúde

São Paulo tem 13 casos suspeitos de febre amarela; seis pessoas morreram

O estado de São Paulo registrou, desde o início deste ano, 13 casos suspeitos de febre amarela e seis mortes. Dois dos pacientes morreram por infecção adquirida no próprio estado

Saúde

Envelhecimento da população gera alta no custo de planos de saúde, diz ANS

A expectativa de envelhecimento da população brasileira e o aumento dos custos médicos devem elevar os valores dos planos de saúde até 2030, de acordo com Leandro Fonseca, diretor-presidente da

Saúde

Pesquisa comprova eficácia de óleos de orégano e de cravo no combate ao Aedes

Uma pesquisa da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Minas Gerais e da Fundação Ezequiel Dias (Funed) atestou a eficiência do uso dos óleos de orégano e de cravo para matar

Deixe seu comentário