Lúcifer, por Célio Pezza

Primeiramente é importante entendermos que Lúcifer nada tem a ver com a ideia do demônio cristão. Existe muita confusão entre os termos Satanás, Diabo e Lúcifer, mas, na verdade, um não tem nada a ver com o outro. Satanás seria o adversário, um ser hostil; o Diabo seria o acusador ou caluniador e Lúcifer seria o Portador da Luz, ligado ao mito grego de Prometeu, o Titan que roubou o fogo sagrado dos deuses do Olimpo para dar aos homens.

Ele está associado a conceitos de liberdade, livre arbítrio, conhecimento e evolução. Algumas das lendas contam que ele teria sido o criador dos seres humanos, e por isso ele tomou tal atitude a favor da humanidade. Quando foi pego pelos deuses, foi condenado a ficar acorrentado no monte Cáucaso durante 30.000 anos, onde todo dia vinha uma águia para comer seu fígado.

No dia seguinte ele se recuperava, para que a águia voltasse a comê-lo novamente. No final, ele foi libertado de seu sofrimento, pois o centauro Quíron, também imortal, deixou-se acorrentar em seu lugar. Devido a esse ato bondoso, os deuses concederam a morte ao centauro. Todo ano, durante o sábado da Vigília Pascal, existe uma cerimônia no Vaticano, onde é cantado o canto litúrgico Exsultet, que exalta a figura de Lúcifer como sendo o astro da manhã, aquele que traz a luz para a Terra.

Também o Vaticano tem no Monte Graham, no Arizona-EUA, um dos melhores observatórios astronômicos do mundo, comandado pelos jesuítas, onde seu maior telescópio é carinhosamente chamado de Lúcifer pelos próprios jesuítas. Recentemente tivemos os Jogos Olímpicos e todos viram a cerimônia de acender a tocha olímpica no início e apagá-la no final dos jogos. O que poucos sabem é do significado oculto dessa tocha olímpica, que representa o mito de Prometeu, a capacidade do Homem se superar e se aproximar dos deuses.

A Estátua da Liberdade com uma tocha na mão é também um grande símbolo dessa filosofia. As procissões com tochas e velas também representam o mito de Prometeu e Lúcifer. Enfim, o importante é deixar claro que Lúcifer não é um demônio. Ao trazer a Luz para a humanidade, da mesma forma que Prometeu trouxe o fogo sagrado, permitiu aos seres humanos a ascensão para a divindade por meio do próprio homem, através da Liberdade, Conhecimento e Vontade própria.

*Célio Pezza é colunista, escritor e autor de diversos livros, entre eles: As Sete Portas, Ariane, A Palavra Perdida e o seu mais recente A Tumba do Apóstolo. Saiba mais em www.facebook.com/celio.pezza

Você pode gostar também

Opinião

O número da Besta do Apocalipse

O último livro da Bíblia, chamado de Apocalipse, de autoria de João, um dos discípulos de Jesus, descreve acontecimentos devastadores, relacionados ao final do mundo. No capítulo 13, ele faz

Opinião

Pelos de roedores em alimentos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) proibiu no mês de julho a venda de um lote de extrato de tomate da marca Heinz, devido à presença de pelos de

Opinião

Vício em redes sociais? Psicóloga explica os riscos desse exagero

Hoje em dia, é difícil conhecer alguém que não goste de atualizar seus perfis nas redes sociais com fotos, check-ins e vídeos, porém essa rotina virtual, às vezes, traz sérios

Deixe seu comentário