Maduro diz que “ninguém o tirará” da Presidência da Venezuela

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nessa quinta-feira (3) que “ninguém o tirará” do cargo, em alusão aos anúncios da oposição de estar procurando um meio legal para afastar o chefe de Estado do poder.

“Esta casa [o palácio presidencial de Miraflores] continuará a ser do povo e aqui continuará Nicolás Maduro Moros”, disse ele, em cerimônia de lançamento do Motor Construção, uma das iniciativas anunciadas pelo governo para tentar combater a crise econômica no país.

Em seu discurso, transmitido pelo canal estatal Venezuelana de Televisão (VTV), Maduro acusou mais uma vez a oposição de pretender “privatizar” as habitações construídas pelo governo, ao editar uma lei que concede propriedade plena aos beneficiários.

“Estão assustados e não sabem o que fazer com essa lei, por isso o que querem é tirar [do poder] este servidor, este dirigente obreiro e revolucionário chamado Nicolás Maduro. Querem-me tirar daqui, mas daqui ninguém me tira”, disse.

A aliança da oposição venezuelana Mesa de Unidade Democrática (MUD), que tam maioria no Parlamento, anunciou nessa quinta-feira que está trabalhando em uma estratégia que afaste o presidente do poder.

“A alternativa democrática declara-se em sessão permanente para escolher uma estratégia que permita desalojar [Nicolas] Maduro de Miraflores, que permita recuperar a democracia venezuelana, onde todos ganhemos”, disse aos jornalistas o secretário executivo da MUD, Jesus Chuo Torrealba.

Segundo ele, a MUD iniciará campanha nacional para exigir a demissão do chefe de Estado que, se for concretizada, “beneficiará até o Partido Socialista Unido da Venezuela”, que apoia o governo e onde, segundo a oposição, há vozes inconformadas com as políticas de Nicolás Maduro.

A Assembleia Nacional venezuelana tinha anunciado que divulgaria ontem a estratégia para afastar Maduro da Presidência, o que ainda não ocorreu.

Você pode gostar também

Mundo

Bruxelas: novo balanço registra 26 mortos e 136 feridos em explosões

Pelo menos 26 pessoas morreram e 136 ficaram feridas nas explosões de hoje (22) de manhã no Aeroporto Zaventem e na estação de metrô de Maelbeek, em Bruxelas, segundo novo

Mundo

Não há brasileiros entre as vítimas da tempestade Nate, diz Itamaraty

O Ministério das Relações Exteriores informou hoje (6) que, até o momento, não há registro de brasileiros entre as vítimas da tempestade tropical Nate, que atingiu a América Central. As

Mundo

China reafirma compromisso de atingir pico das emissões de gases estufa até 2030

O primeiro-ministro Li Keqiang reafirmou o compromisso da China de alcançar o seu nível máximo de emissões de gases de efeito estufa em 2030 ou “antes dessa data”, segundo um

Deixe seu comentário