Meirelles se reúne com Temer para conversar sobre preço do gás de cozinha

Meirelles se reúne com Temer para conversar sobre preço do gás de cozinha

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse há pouco que vai iniciar conversas no governo sobre o preço do gás de cozinha. Meirelles falou com jornalistas ao deixar o Ministério da Fazenda para ir ao Palácio do Planalto, onde terá reunião com o presidente Michel Temer para tratar da reforma da Previdência.

Perguntado se a redução do preço do gás envolveria algum tipo de subsídio, Meirelles afirmou que ainda não tem nenhuma decisão a esse respeito. “O que existe é uma preocupação com a variação grande do preço do gás de cozinha”, disse. Ele acrescentou que esse é um dos temas da reunião hoje (9) e que posteriormente conversará com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid. Entretanto, segundo o ministro, o assunto mais relevante a ser tratado com Temer é a reforma da Previdência.

Mais cedo, Temer afirmou, em entrevista à Rádio Guaíba, que governo estuda medidas para reduzir o impacto do preço do gás de cozinha para a população de baixa renda, a serem anunciadas em breve. “Houve aumento no botijão do gás de cozinha e estou examinando uma fórmula de compensar esse aumento para os mais pobres porque é para eles que o gás de cozinha tem um efeito muito grade”, disse.

Você pode gostar também

Política

TRF4 aumenta pena de Dirceu e absolve Vaccari em apelação da Lava Jato

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre, aumentou em dez anos a pena do ex-ministro José Dirceu na apelação criminal da Lava Jato que

Política

Raquel Dodge diz que falta de liberdades tolhe pluralidade e senso de comunidade

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse que há sinais preocupantes de ofensa a direitos humanos no Brasil, que interessam a todos no país, tanto no presente, como em relação

Política

Aposentado pode ficar sem benefício se Previdência não mudar, diz Padilha

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse, em vídeo divulgado hoje (12) por sua assessoria, que, sem uma reforma da Previdência Social que possibilite amenizar os déficits que vêm

Deixe seu comentário