Moro impõe sigilo à lista de políticos que receberam dinheiro da Odebrecht

O juiz federal Sérgio Moro decidiu hoje (23) colocar em segredo de Justiça uma lista de pagamentos a cerca de 200 políticos, apreendida em uma busca da Polícia Federal na casa de um dos executivos da Odebrecht. A medida foi tomada pelo juiz após a relação ter sido anexada no processo sobre as investigações da 23ª fase da Operação Lava Jato, conhecida como Acarajé, e divulgada pela imprensa.

A lista cita políticos da oposição e do governo que receberam repasses da empreiteira. Nos documentos, não há juízo sobre a legalidade dos pagamentos. A construtora é uma das maiores doadoras a políticos.

“Prematura conclusão quanto à natureza desses pagamentos. Não se trata de apreensão no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht e o referido Grupo Odebrecht realizou, notoriamente, diversas doações eleitorais registradas nos últimos anos”, argumenta o juiz.

Moro decidiu colocar a planilha, apreendida na residência de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, executivo da empreiteira, por citar políticos que tem foro por prerrogativa de função e só podem ser processados pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“De todo modo, considerando o ocorrido, restabeleço sigilo neste feito e determino a intimação do MPF para se manifestar, com urgência, quanto à eventual remessa ao Egrégio Supremo Tribunal Federal para continuidade da apuração em relação às autoridades com foro privilegiado”, decidiu Moro.

Você pode gostar também

Política

Estado de São Paulo fecha 2016 com superávit de R$ 1,5 bilhão

No relatório que será divulgado em breve com o balanço de 2016 do Governo de São Paulo, o destaque é o superávit primário de R$ 1,5 bilhão nas contas do

Política

Reunião de comissão do impeachment dura dez horas e tem bate-boca

Durou cerca de dez horas a reunião da Comissão Especial do Impeachment no Senado nesta segunda-feira (2), quando foram ouvidos três especialistas a favor do impedimento da presidenta Dilma Rousseff.

Política

Após divulgação de conversas, Renan diz que diálogos não têm a ver com Lava Jato

Em nota divulgada pela presidência do Senado na manhã nesta quarta-feira (25), o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou que as conversas – divulgadas pela Folha de S.Paulo nesta quarta-feira, com

Deixe seu comentário