Morte de ator chama a atenção sobre perigos de entrar em rios para banho

Domingos Montagner  Foto: Divulgação/TV Globo/Direitos Reservados

Domingos Montagner
Foto: Divulgação/TV Globo/Direitos Reservados


A morte do ator Domingos Montagner chamou a atenção para os perigos a que as pessoas se expõem ao entrar em rios para banho. Segundo o comandante do Subgrupamento de Busca, Resgate e Salvamento Aquático do Corpo de Bombeiros de Sergipe, capitão Gideão Oliveira, as pessoas acabam se prendendo à beleza da natureza e esquecem de avaliar o risco do local.

Montagner morreu na tarde de ontem (15) por afogamento, ao nadar no Rio São Francisco, no município de Canindé de São Francisco, no sertão sergipano, em um local profundo e com correnteza. O corpo foi localizado preso às pedras a cerca de 30 metros de profundidade, perto da Usina de Xingó, no Canindé.

“É uma região com risco bem próximo, decorrente da formação do fundo do rio. As próprias pedras mudam a direção da erosão da água, com variações circulares, áreas de rotação e formação de correntes não definidas”, disse, acrescentando que isso acontece em todo local de pedras ao longo do São Francisco.

Segundo Oliveira, dentro dos limites de segurança, o banho no local pode ser tranquilo. “Quando se ultrapassa o limite, falta informação, você subestima o próprio rio e superestima sua habilidade [de natação], tudo isso potencializa os riscos”, explicou.

Em entrevista ao Programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, o prefeito de Canindé do São Francisco, José Heleno da Silva, disse que existe uma obra na orla do local onde Montagner se afogou e que durante as construções o contrato dos dois salvas-vidas que trabalhavam ali foi suspenso.

“É uma área de muito risco, onde poucos banhistas se arriscam, os pescadores e a população da região sabem disso”, disse Silva, explicando que ao final da obra será retomado o contrato dos salvas-vidas. Também não há placas de sinalização no local.

O delegado de Canindé de São Francisco, Antônio Francisco Filho, também em entrevista ao Revista Brasil, disse que não houve responsabilidade criminal pela morte de Montagner, mas caso o Ministério Público entenda que pode ter havido alguma falha e solicite apuração, isso será feito pela polícia local.

Prevenção de afogamentos
A prevenção ainda é a melhor forma de evitar mortes por afogamento, segundo o capitão Oliveira, do Corpo de Bombeiros. Conhecer e se informar sobre o local onde vai entrar, manter a água abaixo da linha da cintura e usar um colete salva-vidas são algumas das orientações. “Respeitar a natureza e respeitar o próprio corpo”, disse Oliveira.

Ainda assim, caso a pessoa caia no rio, a orientação é não lutar contra a correnteza e manter a flutuabilidade se direcionando para a margem ou aguardando o socorro. É importante também que as pessoas não treinadas evitem entrar na água para tentar socorrer uma vítima; elas podem jogar algum material para que o outro segure ou flutue e devem chamar o socorro imediatamente.


PARTICIPE

Quer saber tudo sobre Limeira e região? Mande um WhatsApp para o número (19) 99501-5532 e passe a receber as principais notícias e informações sobre a cidade através do aplicativo. Faça parte do Alô e convide seus amigos para participar também!




Você pode gostar também

Saúde

Saiba diferenciar as doenças respiratórias mais comuns no inverno

Com a queda da temperatura e a consequente aglomeração de pessoas em ambientes fechados, a população fica mais suscetível aos vírus e bactérias presentes no ar. Essa equação pode resultar

Saúde

Casos de doenças cardíacas e mortalidade cardiovascular aumentam no inverno

O inverno está associado ao aumento dos casos de doenças cardíacas e da mortalidade cardiovascular, alerta o diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj), Claudio

Saúde

“Não há recursos para se dar tudo a todos”, diz novo ministro da Saúde sobre SUS

O novo ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse hoje (17) que vai buscar, junto à equipe econômica do presidente interino Michel Temer, a aplicação do que foi previsto para o

Deixe seu comentário