“Não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis”, diz Eunício

“Não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis”, diz Eunício

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, disse nesta sexta-feira (25) que não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis. Evitando se posicionar sobre a continuidade das negociações para encerrar a paralisação dos caminhoneiros, o senador afirmou que as articulações foram feitas sem a participação do Legislativo, concentrando os esforços no Executivo.

“Sinceramente eu não posso fazer uma avaliação sobre uma negociação que eu não participei. Eu fui apenas, no final, ouvir os caminheiros em relação ao Congresso, ao Senado. Não há pendências em relação ao Senado para que a greve dos caminhoneiros seja resolvida. Se existem pendências com quem foi negociado, não foi com o Congresso, foi com o Executivo”, disse o presidente.

Eunício também não comentou a continuidade do movimento em vários estados brasileiros, mesmo após o acordo feito com o governo.

Política de preços da Petrobras
Questionado sobre a intenção do líder do Partido dos Trabalhadores, Lindbergh Farias (RJ), de pedir que seja pautada uma proposta que regasta a política de preços da Petrobras do governo Lula, o presidente do Senado disse que todos os projetos que forem discutidos e vierem com requerimento de líderes para votação em regime de urgência para resolver a crise serão pautados, mas a decisão caberá ao plenário da Casa.

Você pode gostar também

Política

Dilma sairá do Planalto pelo térreo e falará à imprensa nesta quinta

Dilma Rousseff deve deixar o Palácio do Planalto após receber a notificação sobre a decisão dos senadores e dar uma declaração à imprensa na manhã desta quinta-feira (11). No mesmo

Política

Vereador quer que secretário se explique sobre gastos com radar em 2016

O vereador Jorge de Freitas, em requerimento protocolado na Câmara Municipal de Limeira nesta segunda-feira (7), sugeriu a convocação do secretário de Mobilidade Urbana, Sebastião Pinto de Souza, para prestar

Política

Aécio classifica decisão do STF de “agigantamento” do Judiciário

Após a decisão do plenário do Senado, de se posicionar sobre as medidas tomadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de afastamento do mandato e recolhimento domiciliar noturno do senador Aécio

Deixe seu comentário