Novo ministro da Fazenda da Argentina assume com desafios e incertezas

Novo ministro da Fazenda da Argentina assume com desafios e incertezas

Hernán Lacunza, o novo ministro da Fazenda e Finanças Públicas da Argentina, terá que conduzir a agenda econômica do país com grandes desafios nos próximos meses. Entre eles, uma acirrada campanha eleitoral, o contexto internacional incerto e muitos ajustes a serem feitos. Lacunza foi recebido por volta das 11h da manhã de hoje (19) pelo presidente Mauricio Macri.

No último sábado (17), Nicolás Dujvone, o então ministro da Fazenda, renunciou ao cargo afirmando estar “convencido de que, em virtude das circunstâncias, a gestão precisa de uma renovação significativa na área econômica”.

A tarefa agora está nas mãos de Hernán Lacunza, que era ministro da Economia da Província de Buenos Aires. Lacunza recebeu o convite do presidente Mauricio Macri para assumir a pasta neste final de semana.

Ele assume o importante ministério do país, em um contexto de crescente dívida pública, com uma relação delicada com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e uma taxa de inflação que já ultrapassou os 22% apenas no primeiro semestre. Analistas acreditam que a inflação, prevista para estar entre 50% e 55% até o final do ano, pode subir ainda mais.

A relação com o FMI, com quem o país firmou uma série de compromissos em troca de um empréstimo de US$ 57 bilhões, também terá de receber atenção. Os termos acordados com o órgão devem ser rediscutidos, para alcançar novos acordos e consensos. Representantes do FMI devem fazer uma visita ao país nos próximos 15 dias.

Há ainda a incógnita sobre o que acontecerá com o dólar no país. Na semana passada, após o dólar disparar 25% (a moeda ultrapassou os 60 pesos argentinos) e o risco país ultrapassar os 1.800 pontos (hoje está em 1.858 pontos), Macri anunciou medidas para aliviar o bolso de 17 milhões de argentinos. Analistas defendem que, como resultado dessas medidas, o déficit público também aumentará.

Hernán Lacunza tem 49 anos e é formado em economia. Antes de dirigir o Ministério da Economia de Buenos Aires, passou pelos cargos de diretor geral do Banco Central argentino e do Banco Municipal da Cidade de Buenos Aires.

Você pode gostar também

Mundo

Após massacres que mataram 29, Trump diz que EUA “precisam fazer mais”

Após ser fortemente criticado na sequência de dois massacres a tiros ocorridos no último fim de semana nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump se manifestou sobre os incidentes que

Mundo

Terrorista suicida mata 22 pessoas, entre elas jovens, em Manchester

Um terrorista suicida provocou, na noite dessa segunda-feira (22), a morte de 22 pessoas, entre elas adolescentes, ao explodir um artefato de fabricação caseira perto da Manchester Arena, informou hoje

Mundo

Próxima cúpula do Brics será realizada em julho na África do Sul

A 10ª Cúpula do Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, acontecerá entre os dias 25 e 27 de julho próximo, no Centro de Convenções

Deixe seu comentário