Número de empregos formais fica estável no estado de São Paulo

Número de empregos formais fica estável no estado de São Paulo

O número de empregos formais no estado de São Paulo ficou estável no 1º trimestre de 2017 com a geração de 11.309 postos de trabalho, resultado de 1.133.234 admissões e 1.121.925 desligamentos, de acordo com estudo elaborado pela Fundação Seade, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência Social.

Segundo os dados, com essa movimentação, o número de empregos formais no estado chegou a 11.938.009 no final do primeiro trimestre de 2017, 0,1% superior àquele registrado no trimestre anterior. Na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, o estoque de empregos diminuiu 2,5%, com a eliminação de 308.461 postos de trabalho.

Região metropolitana
Os dados mostram que na região metropolitana de São Paulo, que detém 52,8% do total dos empregos formais do estado –, o nível de emprego caiu em 17.251 postos de trabalho, com 572.565 admissões e 589.816 desligamentos.

No final do primeiro trimestre de 2017 os empregos formais na região somaram 6.305.034, 0,3% inferior ao registrado no trimestre anterior. Na comparação com o 1º trimestre de 2016, houve retração de 2,8%, devido à eliminação de 179.751 postos de trabalho.

Você pode gostar também

Nacional

MST quer bloquear estradas em todo país no domingo

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) planeja bloquear rodovias federais e estaduais em todas as regiões do Brasil no domingo (17), para protestar segundo eles contra a impunidade

Nacional

Intenção de consumo em São Paulo tem pior índice desde 2012

Pesquisa do Programa de Administração do Varejo, da Fundação Instituto de Administração (Provar- FIA), divulgada hoje (6), em São Paulo, indica que pretendem comprar bens duráveis nos próximos três meses

Nacional

Exportação brasileira de carne cai 19% na primeira semana após operação

Após uma semana da deflagração da Operação Carne Fraca, que investiga irregularidades na produção e fiscalização de frigoríficos, a exportação da carne brasileira rendeu ao país uma média 19% menor.

Deixe seu comentário