O encanto das águas e queijos da Serra da Canastra

Serra da Canastra

Serra da Canastra


O formato de um “baú canastra” dá nome à Serra cheia de atrativos naturais, históricos, culturais e gastronômicos que oferece, a seus visitantes, opções de roteiros variados. Os visitantes interessados em desbravar o Parque Nacional da Serra da Canastra podem fazer o acesso em uma das quatro portarias: São Roque de Minas, São João da Canastra, Sacramento e São José do Barreiro. A área transformada em Parque Nacional em 1972 protege, além da fauna e flora da região – tamanduá-bandeira, lobo-guará, tatu-canastra e pato-mergulhão-, a nascente do rio São Francisco, um dos mais importantes do Brasil.

A Serra da Canastra está localizada nas proximidades de seis cidades: Sacramento, Delfinópolis, São João Batista do Glória, Capitólio, São Roque de Minas e Vargem Bonita, sendo as duas últimas as mais próximas. Elas ficam na parte Norte da Serra e perto das atrações mais procuradas: a nascente do rio São Francisco; a Cachoeira Casca D’Anta, com 186 metros de altura; e o primeiro grande salto do “Velho Chico”, localizado a 14 km da nascente.

Dentro do parque o acesso é feito por estradas de terra e trilhas. Muitos dos atrativos estão entre 900 e 1.496 metros, o ponto mais alto da Serra da Canastra. Vale a pena descobrir a região e seus encantos:
28_07_2016_queijo
AVENTURA E GASTRONOMIA – Uma temporada na Serra da Canastra permite a realização de atividades como trilhas, canoagem, bóia-cross, rapel, cachoeiras, lagoas, rios, motocross, passeios de jeep, entre outras atividades ao ar livre. Outra paixão regional é o Queijo Canastra. Os produtores artesanais de queijo de leite cru, fabricam há mais de dois séculos essa iguaria, considerada Patrimônio Imaterial de Minas Gerais e do Brasil. A vida rural mantém, ainda, a tradição da arquitetura do século XIX, dos muros de pedra sem cimento e do carro de boi.

“O MAR DE MINAS” – A região tem 34 cidades banhadas pelo Lago de Furnas, no Rio Grande. O imenso reservatório de 1.440 km² (quatro vezes maior que a Baía de Guanabara), também é chamado de “Mar de Minas”. A área do lago tem grandes paredões de pedra, cachoeiras, piscinas naturais e uma praia artificial com área de lazer no município de Capitólio. O turismo gerado nas águas de Furnas, ao lado da Serra da Canastra, movimenta boa parte da economia regional.
28_07_2016_serra_canastra2
O ENCANTO – Em “Viagem às Nascentes do rio São Francisco”, Auguste de Saint-Hilaire (1779-1853) descreve uma vista paradisíaca da Serra da Canastra: “Enquanto tive diante dos meus olhos a Serra da Canastra, desfrutei de um panorama maravilhoso. À direita descortinava uma vasta extensão de campinas e à esquerda tinha a serra, do alto da qual jorravam quatro cascatas”. Esse roteiro privilegiado de esportes radicais e turismo ecológico abrange 200 mil hectares. A região é berço de muitos rios que formam as bacias do São Francisco e do Paraná, cheios de corredeiras e cachoeiras com diferentes destinos. Tudo forma um conjunto de rara beleza ainda preservado e fiel à descrição apaixonada do naturalista francês. Os turistas agradecem!




Você pode gostar também

Viagem

Broa Golf Resort: Esportes e muita diversão em Itirapina (SP)

As férias de meio de ano funcionam como um refúgio para as famílias paulistas. É indispensável tirar alguns dias para curtir com os filhos e se revigorar para o segundo

Viagem

Viajar na baixa temporada é a solução para quem quer gastar menos

Uma economia média de até R$ 2 mil é o que se pode conseguir ao comprar pacote para viajar durante a baixa temporada, entre os meses de agosto e novembro.

Viagem

Campos do Jordão ganha duas novas atrações turísticas

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Um dos destinos mais procurados pelos turistas, especialmente no inverno, Campos do Jordão ganhou neste sábado, 18, duas novas atrações em benefício do turismo local. Viabilizados com recursos do DADE

Deixe seu comentário