PF faz operação para prender suspeitos de ataques em prédios públicos no AM

PF faz operação para prender suspeitos de ataques em prédios públicos no AM

A Polícia Federal (PF) realiza hoje (27) a operação Lex Talionis, em Humaitá, em Manaus para desarticular associação criminosa que teria incendiado e destruído bens públicos dos Institutos Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e de Colonização e Reforma Agrária (Incra) feito em outubro do ano passado. Os danos causados aos bens públicos foram mais de R$ 1 milhão.

Cerca de 120 policiais federais cumprem 28 mandados judiciais expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. São 15 mandados de busca e apreensão e 13 de prisão temporária.

Os ataques ao patrimônio público ocorreram em outubro do ano passado e seriam uma represália a operação anterior, coordenada pela Superintendência do Ibama no Amazonas.

Os garimpeiros de Humaitá teriam incendiado os prédios públicos dos órgãos de fiscalização após a inutilização de dragas na ação do Ibama.

De acordo com a Polícia Federal, durante as investigações, foram identificados garimpeiros e políticos que possivelmente incentivaram a manifestação.

Os danos aos bens públicos causaram prejuízo de mais de R$ 1 milhão aos cofres federais. Os acusados responderão pelos crimes de associação criminosa e dano qualificado, que preveem penas que somadas podem chegar a seis anos de prisão.

Você pode gostar também

Polícia

Criança morre ao bater em carro

Uma criança de 10 anos morreu no sábado (17) após colidir sua bicicleta em um carro no jardim Boa Esperança. Ele estava acompanhado de outro menino, de 13 anos. Os

Polícia

Dois homens são mortos em troca de tiros com a PM no Royal Palm

Dois indivíduos foram mortos na noite desta sexta-feira (15) durante uma troca de tiros com a Polícia Militar no Royal Palm, em Limeira. Segundo informações, o bando teria invadido uma

Polícia

Eike fica calado em depoimento e advogado diz que ele só fala em juízo

O empresário Eike Batista reservou-se ao direito de falar apenas em juízo durante o depoimento na tarde de hoje (31) na Delegacia de Combate ao Crime Organizado e Desvio de

Deixe seu comentário