PF investiga desvios de recursos públicos do Incra na Paraíba

PF investiga desvios de recursos públicos do Incra na Paraíba

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (13) a Operação Amigos do Rei, para combater o desvio de recursos públicos em concessões irregulares de terras nos projetos de assentamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Paraíba. Estima-se um prejuízo de R$ 9 milhões aos cofres público, no período de janeiro de 2018 a maio de 2019.

Dois servidores do Incra tiveram o afastamento do cargo determinado pela Justiça Federal, sendo um deles um ex-superintendente substituto do órgão no estado. A Justiça decretou, também, o bloqueio de mais de R$ 148 mil das contas dos investigados. As ordens foram expedidas pela 16ª Vara da Justiça Federal na Paraíba.

Segundo a PF, as investigações começaram a partir de uma denúncia anônima sobre o envolvimento de dois servidores na concessão irregular de lotes de terra, em assentamentos, beneficiando familiares e pessoas próximas e outras que não preenchiam os requisitos legais.

Os policiais federais cumprem desde as primeiras horas de hoje oito mandados de busca e apreensão, nas residências dos investigados e na superintendência do órgão no estado.

De acordo com a PF, o nome da operação, Amigos do Rei, é uma referência à forma ilícita de agir do então gestores do Incra, para beneficiar familiares e amigos na obtenção de parcelas de terras e créditos.

Você pode gostar também

Limeira

Saques da poupança superam depósitos em R$ 4,02 bilhões em fevereiro

Os saques da caderneta de poupança superaram os depósitos em fevereiro. A retirada líquida (descontados os depósitos) ficou em R$ 4,020 bilhões, informou hoje (8) o Banco Central (BC). Foi

Limeira

Agência projeta que demanda por energia crescerá mais de 25% até 2040

A demanda global de energia crescerá mais de 25% até 2040, o que requer mais investimento na produção convencional de petróleo para evitar uma crise de fornecimento a médio prazo,

Limeira

Operação de combate à pedofilia prende 132 pessoas em flagrante

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que mais de 1 milhão de arquivos (entre fotos, vídeos e outros documentos obtidos em ambientes virtuais) com conteúdos relacionados a crimes

Deixe seu comentário