Planos de saúde: média de preços em estados varia até 66%

Dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) mostram que a variação de preços de planos de saúde chega a 66% entre os estados, considerando a média de preços mais baixa e a mais alta. A agência tomou como base os valores do ano de 2015 dos planos na faixa entre 44 a 48 anos, no segmento ambulatorial+hospitalar com contração individual/familiar.

São Paulo tem a média de preços mais baixa do país para essa faixa, R$ 423,41, enquanto Roraima tem a mais elevada, R$ 706,78. O valor médio nacional deste segmento ficou em R$ 610,24. Os números estão disponíveis Painel de Precificação de 2015, da ANS, que traz informações e análises sobre os valores médios praticados no mercado de planos de saúde no Brasil

Minas Gerais e Rio de Janeira estão em seguida na lista de preços mais baixos, respectivamente com R$ 441,91 e R$ 525,56. Na outra ponta da lista, estão Pará, com média de R$ 695, e Amazonas, com R$ 704,17

O levantamento também mostra que o reajuste médio por mudança de faixa etária ao se completar 34 anos apresenta a menor variação média (10,5%), enquanto o reajuste para o beneficiário que completa 59 anos apresenta a maior variação média (43,6%).




Você pode gostar também

Saúde

Pela saúde e auto estima, pessoas investem nos exercícios e qualidade de vida

[vc_row][vc_column][vc_column_text] Nos dias de hoje, o sedentarismo pode ser considerado um desafio para a humanidade, pois as pessoas ganham a vida sentadas, trabalham sentadas o tempo inteiro e não fazem

Saúde

Estigma é desafio para o tratamento de jovens com HIV

Teresa foi diagnosticada com HIV quando tinha apenas um ano de idade e esta informação foi mantida em segredo até seus 16 anos, quando a jovem descobriu o diagnóstico de

Saúde

Brasil ocupa a 11ª posição na América Latina em saneamento básico, diz estudo

Metade da população brasileira não conta com coleta de esgoto e apenas um quarto dela vive em localidades com tratamento dos dejetos, segundo estudo divulgado hoje (16) pelo Instituto Trata

Deixe seu comentário