Prefeitura fecha acordo com sindicato e greve se encerra

Prefeitura fecha acordo com sindicato e greve se encerra

A Prefeitura de Limeira fechou acordo com os sindicatos que representam o funcionalismo municipal (Sindsel, Apeoesp e Sindguarda) e, com isso, a categoria decidiu pelo encerramento da greve.Na manhã desta quinta-feira (4), a Mesa de Negociação se reuniu com as entidades sindicais e uma nova proposta salarial foi apresentada.Dessa vez, foi oferecido o reajuste de 4% – sendo metade desse percentual (2%) retroativo a março, enquanto que a outra metade (2%) a partir de agosto.Em relação ao vale-alimentação, também houve uma melhora por parte da proposta da Prefeitura. Agora, o reajuste de 6% será pago em uma única vez, retroativo a março. Na negociação anterior, o índice seria dividido em duas vezes.O acordo celebrado com os sindicatos foi aprovado pela assembleia de trabalhadores e referendado pela Mesa de Negociação. Os dias parados deverão ser repostos pelos trabalhadores, conforme acordo da Mesa.A Prefeitura, mesmo no limite, realizou todos os esforços para formatar uma proposta final de aumento salarial, aceita pelos sindicatos. O município vem passando por dificuldades financeiras e orçamentárias. No entanto, por determinação do prefeito Mario Botion, a Mesa foi autorizada a negociar uma proposta final para que a greve fosse encerrada e a população deixasse de ser afetada

Você pode gostar também

Limeira

Sesc será integrado à comunidade, apontam arquitetos

Representantes do consórcio constituído pelos escritórios de arquitetura Art 3, Grupo SP e JGP Arq e a assessora técnica e de planejamento do Sesc, Márcia Aparecida Bonetti Agostinho Sumares, realizaram

Limeira

Banco do Brics investirá US$ 621 milhões em projetos no Brasil

O Brasil receberá US$ 621 milhões do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), instituição financeira criada em 2015 pelo grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o

Limeira

Mandetta: país jamais deveria quebrar patente de medicamentos

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse hoje (4) que o país jamais deveria quebrar patentes de medicamentos, uma vez que isso prejudica a inventividade e o tempo gasto

Deixe seu comentário