PSDB nega que haja acordo com PMDB para barrar denúncia contra Temer na Câmara

PSDB nega que haja acordo com PMDB para barrar denúncia contra Temer na Câmara

Um dia após a decisão que manteve os direitos parlamentares do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que é presidente nacional licenciado do PSDB, a Executiva Nacional do partido negou que haja um acordo com o PMDB para barrar a denúncia contra o presidente Michel Temer que tramita na Câmara dos Deputados.

O PSDB divulgou uma nota em que afirma que a bancada da legenda se posicionou de modo contrário às medidas cautelares impostas a Aécio “única e exclusivamente” por acreditar que “todo e qualquer cidadão tem direito à ampla defesa e ao contraditório”.

“Nossa decisão não implica de forma nenhuma um juízo de valor sobre as atitudes do senador Aécio e muito menos pode ser entendida como parte de qualquer acordo relacionado à votação da denúncia contra o presidente da República na Câmara dos Deputados”, diz a direção partidária, no comunicado.

“O PSDB reafirma seu compromisso contra a impunidade, defendendo a ampla investigação de toda e qualquer denúncia devidamente fundamentada contra quem quer que seja, inclusive membros do partido, assegurados todos os direitos e garantias processuais, corolários da igualdade de todos perante a lei”, diz ainda a nota à imprensa.

O presidente interino da sigla, senador Tasso Jereissati (CE), já havia defendido a posição do PSDB. “Estamos defendendo o direito à defesa, que foi o que o senador nos pediu. Porque ele nunca foi ouvido aqui no Senado. Ele acha que tem razões para se defender. Não tem o menor compromisso ou contrapartida nossa [PSDB] em relação à questão da [denúncia contra Temer] na Câmara”, afirmou.

Daqui a pouco, os senadores do partido vão se reunir para debater a situação do parlamentar mineiro após seu retorno à Casa. Uma ala dos senadores e parte de deputados tucanos defendem a renúncia de Aécio da Presidência. Apesar de alegarem que as conversas ainda ocorrem de modo “embrionário”, integrantes da sigla não descartam que haja uma decisão sobre o caso nas próximas horas.

Ao aparecer pela primeira vez no Senado após a decisão dos senadores, Aécio Neves prometeu trabalhar para provar a sua inocência.

Você pode gostar também

Política

Temer diz que votação de vetos presidenciais ficará para novembro

O vice-presidente Michel Temer disse hoje (14) que a votação dos vetos presidenciais ficará para novembro. Segundo Temer, a questão foi discutida no almoço desta quarta-feira (14), no Palácio do

Política

TRF4 nega recurso de Lula contra a condenação em 2ª instância

A Oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) decidiu hoje (26), em Porto Alegre, por 3 votos a 0, rejeitar o embargo de declaração do ex-presidente Luiz

Política

Marcelo Odebrecht diz que não está preparado para falar sobre Operação Acarajé

Em depoimento prestado ontem (23), na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, o presidente afastado da empreiteira Odebrecht, Marcelo Odebrecht, deixou de responder perguntas dos delegados da Polícia Federal sobre

Deixe seu comentário