Reformas devem enxugar Constituição, defende Toffoli

Reformas devem enxugar Constituição, defende Toffoli

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, disse hoje (21), ter defendido junto à cúpula dos poderes Executivo e Legislativo que os textos das reformas da Previdência e tributária, ambas em tramitação no Congresso, quando aprovados, resultem na redução de dispositivos na Constituição.

Toffoli avalia que reduzindo dispositivos constitucionais nas reformas, deverá cair o número de processos que chegam por ano ao STF tendo como base violações desses dispositivos. Ele citou como exemplo o passivo de R$ 1 trilhão em litígios tributários ao aguardo de uma solução na Corte.

“Nós temos que diminuir o texto da Constituição. Para diminuir a litigiosidade, é necessário diminuir o texto”, ressaltou em um fórum da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB), em Brasília. “Se não há parâmetro para contestar constitucional, o sistema vai fluir de maneira mais eficaz, mais rápida, e sem litigiosidade”, acrescentou.

Ele se posicionou contra o que seria uma noção comum no Brasil, de se aumentar o nível de detalhamento da Constituição via reformas. “Se se aumenta o número de dispositivos na Constituição, e qualquer norma infraconstitucional poder ser impugnada por se dizer contrária à Constituição, você está ampliando a possibilidade de judicialização da questão”.

Você pode gostar também

Limeira

Concurso e desfile acontecem nesta terça-feira em Limeira

O concurso e o desfile do projeto Moda Inclusiva acontecem nesta terça-feira (27), no Shopping Center Limeira. Participarão do concurso estudantes e profissionais de moda, design e saúde da região

Limeira

Estudantes de Hong Kong boicotam primeiro dia de aula

Grupos de estudantes realizaram uma passeata no centro de Hong Kong hoje (2). Eles querem que os participantes não compareçam às aulas nas primeiras duas semanas do ano letivo para

Limeira

Produtores avaliam ter frota própria para fugir da tabela de fretes

Alguns setores produtivos, em especial do agronegócio, avaliam alternativas para transporte de suas cargas, como o aluguel e a aquisição de frota própria. A justificativa é o aumento dos custos

Deixe seu comentário