Resoluções de ano novo…

Todo ano a maior parte de nós faz uma lista de resoluções para o ano novo… aquela listinha que faremos no ano que se inicia e que o transformará em um ano especial e no melhor ano de nossas vidas … com o passar dos meses, a listinha não vai se concretizando, acontece sempre uma dificuldade, um probleminha, um obstáculo…

Sempre acontecerão, sempre teremos obstáculos a enfrentar, desafios, contra-tempos…mas isso não seria motivo para não alcançarmos nossas metas, chegarmos a um resultado positivo mês e mês.

O ano novo não será um novo ano em nossas vidas, se não renovarmos nosso emocional, se não fizermos um 5S em nossos sentimentos e emoções, se não modificarmos nossa maneira de solucionar e, por que não, de criar problemas.

Precisamos soltar as amarras que nos prendem a comportamentos disfuncionais, a sentimentos nocivos, a ansiedades desnecessárias… Precisamos adotar uma postura diferente conosco mesmo. Precisamos firmar o compromisso de sermos melhores, de sermos mais honestos conosco mesmo, de reconhecermos nossas dificuldades, mas não as mais básicas e sim aquelas que gostaríamos de esconder nas profundezas, no escuro da alma, lá no fundo…

Áh, se escondê-las ajudasse… não nos ajuda, ao contrário, elas surgem atropelando tudo, quando menos percebemos.

Então nada de resoluções de ano novo rasas, do tipo: Esse ano farei uma poupança (pode até fazer, porque é importante), mas vamos além, esse ano vou descobrir o porquê gasto tudo e não economizo nunca, não faço a minha poupança. Nada de: esse ano não vou ser bobo de ninguém, não vou deixar me usarem (não seja e não deixe mesmo), mas vá além, entenda o porquê até hoje você permitiu isso.

Façamos de nossa resolução de ano novo, um momento de auto-conhecimento e de descobertas e de mudanças internas, mudanças profundas. Essas mudanças nos ajudarão e estarmos mais perto do ano que tanto buscamos.

“O objetivo de um ano novo não é que nós deveríamos ter um ano novo. É que nós deveríamos ter uma alma nova.” G. K. Chesterton

Você pode gostar também

Sophia Rodovalho

Áh, mas ela procurou…

Nesses últimos dias assistimos, estarrecidos, as notícias sobre a adolescente estuprada por cerca de 30 homens no Rio de Janeiro. De início pensei que o estupro, a violência, o trauma

Sophia Rodovalho

A ansiedade: o mal do século

Eis que ela surge, “do nada”, avassaladora, aquela tremedeira, suor frio, boca seca, mãos trêmulas, dor no peito… pensamento acelerado, a certeza de que o pior está perto de acontecer.

Sophia Rodovalho

Psicoterapia é pra quem, afinal?

Não é raro escutarmos ainda nos dias de hoje, pessoas dizerem que não vão ao Psicólogo, por não serem loucas, ou pais dizendo que pra “arrumar“ a cabeça do filho

Deixe seu comentário