Rio se despede dos Jogos Olímpicos com mistura de ritmos brasileiros

Cerimônia de encerramento da Rio 2016

Cerimônia de encerramento da Rio 2016


A cerimônia de encerramento da Rio 2016 teve início com voluntários vestidos de pássaros formando imagens de pontos turísticos do Rio de Janeiro, como o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. Em seguida, o cantor Martinho da Vila interpretou as clássicas Carinhoso, de Pixinguinha, e As pastorinhas, de Noel Rosa.

O Hino Nacional foi interpretado por um grupo de 27 crianças integrantes de um projeto social de Niterói, ao som de atabaques. Logo depois, as bandeiras dos países participantes dos Jogos Olímpicos desfilaram ao som de Tico-tico no fubá, interpretada pela cantora Roberta Sá, vestida de Carmem Miranda.

Quem levou a bandeira do Brasil foi o canoísta Isaquias Queiroz, que ganhou duas medalhas de prata e uma de bronze nos Jogos.

Desfile dos atletas na cerimônia de encerramento da Rio 2016. Foto: Reuters/Vasily Fedosenko/Direitos Reservados

Desfile dos atletas na cerimônia de encerramento da Rio 2016.
Foto: Reuters/Vasily Fedosenko/Direitos Reservados


A cerimônia de encerramento foi pensada para contar a história da arte brasileira, desde de seu início: com a pintura rupestre, passando pela arquitetura e o paisagismo, artesanato, dança e arte contemporânea, sempre permeada pela música nacional, em suas multifacetadas vertentes: samba, choro, MPB, frevo, cânticos tradicionais indígenas, ciranda, forró e marchinhas de carnaval são alguns do ritmos da trilha sonora, assinada pelo produtor musical Alê Siqueira. O som de várias gerações de músicos e intérpretes fazem parte do show, como Pixinguinha, Braguinha, Noel Rosa, Martinho da Vila, Carmen Miranda, Roberta Sá, Arnaldo Antunes, Heitor Villa-Lobos, Luiz Gonzaga e Ernesto Nazaré.

A festa exalta a inventividade do brasileiro e sua capacidade de criar com as próprias mãos, reforçando elementos marcantes da nossa identidade cultural, como as esculturas de mestre Vitalino e as rendas de bilro. O primeiro ato trouxe as belezas naturais do país, a diversidade da fauna e da flora e algumas das mais icônicas paisagens do Rio de Janeiro sob a perspectivas de pássaros. Por ser o adeus dos Jogos Olímpicos, o show também reserva momentos de reconhecimento do trabalho dos voluntários, com uma canção em homenagem a eles cantada por Lenine, e uma retrospectiva dos melhores momentos.

A chama olímpica será apagada em um ato cheio de simbolismo: enquanto a cantora Mariene de Castro interpretará a música Pelo tempo que durar, de Marisa Monte e Adriana Calcanhoto. Uma chuva, que representa a abundância das águas tropicais, cairá sobre a pira, extinguindo o fogo. A mensagem, no entanto, não será de finitude: uma grande árvore surgirá no centro da cena, ressaltando o novo começo.

Por fim, a maior festa brasileira ganhará o gramado do Maracanã, evocando a tradição dos blocos de rua de carnaval e o esplendor dos carros alegóricos que passam todos os anos pela Marquês de Sapucaí. Rainhas das escolas de samba, passistas, percussionistas e baianas se juntarão ao Cordão do Bola Preta para o último elemento da cerimônia, em um cortejo liderado pelo gari Renato Sorriso e a modelo brasileira Izabel Goulart.

*Colaborou Sabrina Craide, de Brasília


PARTICIPE

Quer saber tudo sobre Limeira e região? Mande um WhatsApp para o número (19) 99501-5532 e passe a receber as principais notícias e informações sobre a cidade através do aplicativo. Faça parte do Alô e convide seus amigos para participar também!




Você pode gostar também

Rio 2016

Paralimpíada ajuda na conscientização sobre acessibilidade no país

A realização dos Jogos Paralímpicos no país pode aumentar a consciência do brasileiro sobre a necessidade de se avançar na questão da acessibilidade para melhor atender as pessoas com deficiência,

Rio 2016

Judoca Mayra Aguiar garante a terceira medalha do Brasil nos Jogos Rio 2016

Não foi a medalha que ela e a torcida esperavam, mas nem por isso a comemoração foi pequena. Mayra Aguiar garantiu o bronze no judô, na categoria até 78kg, ao

Rio 2016

Brasil quer ficar em 5º lugar na Paralimpíada; veja as chances de medalhas

Os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro começam no dia 7 de setembro, e os atletas brasileiros têm chances de ganhar medalhas em várias categorias. O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

Deixe seu comentário