São Judas Tadeu vai ministrar curso de Medicina em Limeira

São Judas Tadeu vai ministrar curso de Medicina em Limeira

A AMC Serviços Educacionais Ltada, nome jurídico da Universidade São Judas Tadeu, ganhou o processo aberto pelo Ministério da Educação e será responsável por ministrar o curso de Medicina, em Limeira. A informação consta de publicação desta quarta-feira (31), no Diário Oficial da União. A portaria é assinada pelo secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior, Luiz Robério de Souza Tavares.

A publicação da portaria ratifica o procedimento para a implantação do curso de Medicina em Limeira. Agora, entre 15 de fevereiro e 2 de março, a instituição terá prazo para entrega de documentação confirmando a implantação do curso na cidade.

A futura instalação do curso de Medicina ocorre após inúmeras gestões políticas feitas pelo prefeito Mario Botion junto ao Ministério da Educação. Por duas vezes, Botion e o deputado federal Miguel Lombardi estiveram com o ministro da Educação, Mendonça Filho. O prefeito e o deputado manifestaram interesse do município pela vinda do curso.

Limeira havia ficado de fora de listas iniciais de municípios contemplados com cursos de Medicina. Desde que tomou posse, em janeiro de 2017, o prefeito vem se empenhando no campo político para ajudar a viabilizar o município como sede de futuros locais para abrigar cursos de Medicina.

Você pode gostar também

Política

Dilma deve fazer pronunciamento sobre abertura de impeachment

No dia seguinte à Câmara dos Deputados aprovar a abertura do processo de impeachment, Dilma Rousseff deve fazer um pronunciamento sobre a decisão dos deputados. A previsão é de que

Política

Desvios teriam custeado despesas de Paulo Bernardo e do PT, diz MPF

O ex-ministro Planejamento Paulo Bernardo teve, segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal, despesas pessoais e de campanhas eleitorais pagas pelo esquema de corrupção investigado pela Operação

Política

Delegados pedem mais apoio financeiro para a Polícia Federal

A Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) enviou ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, uma carta na qual pede mais apoio financeiro ao trabalho da PF. Entre outras

Deixe seu comentário