São Paulo tem 21 mortes e 40 casos de febre amarela desde janeiro de 2017

São Paulo tem 21 mortes e 40 casos de febre amarela desde janeiro de 2017

Desde janeiro de 2017, 21 pessoas morreram em decorrência da febre amarela no estado de São Paulo. O último balanço da Secretaria de Estado da Saúde, divulgado hoje (12), indica também 40 casos confirmados da doença. O balanço anterior indicava 29 casos confirmados, com 13 mortes.

Em relação a mortes e adoecimento de primatas, como macacos e bugios, foram 2.491 casos desde julho de 2016, sendo que a febre amarela foi confirmada em 617 animais. Mais de 61% desses registros ocorreram na região de Campinas.

As mortes ocorreram nos municípios de Américo Brasiliense, Amparo, Atibaia, Batatais, Itatiba, Jarinu, Mairiporã, Monte Alegre do Sul, Nazaré Paulista, Santa Lucia e São João da Boa Vista. Os demais casos de infecção foram registrados em Águas da Prata, Américo Brasiliense, Amparo, Atibaia, Caieiras, Campinas, Itatiba, Jundiaí, Mairiporã, Mococa/Cassia dos Coqueiros, Santa Cruz do Rio Pardo e Tuiti.
Campanha

Uma campanha inédita de vacinação terá início no dia 3 de fevereiro em 53 municípios paulistas. O objetivo é proteger moradores que residem em locais ainda não alcançados pelo vírus da doença, mas que estão mais propensos por estarem próximos à região de mata. A expectativa é vacinar cerca de 6 milhões de pessoas.

Segundo a Secretaria da Saúde, pessoas que moram em local em que não há circulação do vírus e não vão viajar para áreas consideradas de risco devem aguardar o início da campanha para tomar a vacina. Quem for viajar deve tomar a vacina dez dias antes do deslocamento.

A vacina a ser ofertada na campanha é do tipo fracionada que tem eficácia de oito anos. Quem já foi vacinado com a dose integral da vacina, mesmo que há muito tempo, não precisa do reforço. A modalidade fracionada somente será aplicada a partir de agora, em função do aumento dos casos. Ela terá um selo especial nas carteiras de vacinação.

Você pode gostar também

Saúde

Proteja-se das doenças de outono

O Hospital Geral de Pirajussara, unidade da Secretaria da Saúde gerenciada em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), faz um alerta sobre as doenças de

Saúde

Autismo: entenda o transtorno e como lidar com ele

Dia Mundial do Autismo é celebrado neste sábado (2). A disfunção do desenvolvimento cerebral que acomete até 1 % da população, sendo mais comum em meninos (mas ocorrendo também em

Saúde

8 coisas que você precisa saber sobre o teste de HIV

1 – O teste rápido de HIV não dói. O teste rápido para HIV é praticamente indolor. Ele pode ser feito, inclusive, com fluído oral, em vez de sangue, em

Deixe seu comentário