Sonda New Horizons chega em Plutão após nove anos e meio de viagem

Foto: NASA /JHUAPL/SWRI

Foto: NASA /JHUAPL/SWRI

Nunca na história deste universo, um veículo espacial chegou tão longe. Nessa terça-feira (14), a sonda New Horizons, que saiu da Terra no ano de 2006, vai ficar a exatos 12.472 km (7.750 milhas) de Plutão. Lançada pela Nasa, a New Horizons tem como objetivo trazer informações sobre o planeta-anão (entenda por que Plutão é um planeta-anão) e vai completar uma rota de 4,77 bilhões de km.

Desde quando a New Horizons saiu da Terra, foram apresentadas imagens que revelaram detalhes de Saturno e Netuno. Quando começou a se aproximar de Plutão, a sonda já fez imagens do planeta-anão. Em uma delas, foi revelada uma cor avermelhada de Plutão. Em outra revelava Charon (a maior lua) orbitando sobre o planeta-anão. Há, ainda, a imagem que mostrava as duas faces do planeta.

Creative Commons - CC BY 3.0 - Sonda New Horizon capta imagens de Plutão e de sua lua Charon Nasa.

Creative Commons – CC BY 3.0 – Sonda New Horizon capta imagens de Plutão e de sua lua Charon
Nasa.

Além de ser a primeira missão que explorou Plutão, a Nasa aponta que a New Horizons quebrou alguns recordes. É a primeira a chegar a um planeta congelado anão, a explorar o Cinturão de Kuiper (área onde fica Plutão), a primeira desde 1970 a explorar um planeta desconhecido e a nave mais rápida da história: a velocidade chegou até a 21 km/s.

Inforgráfico New Horizon. Creative Commons - CC BY 3.0 - Inforgráfico New Horizon Adaptação de infografia da NASA

Inforgráfico New Horizon. Creative Commons – CC BY 3.0 – Inforgráfico New Horizon
Adaptação de infografia da NASA

Mas a Nasa não gastou cerca de US$ 720 milhões apenas para quebrar recordes. De acordos com pesquisadores da área, a chegada da New Horizons vai auxiliar nos estudos sobre e sobre como era a vida na Terra há bilhões de anos. Para o professor de física da Universidade de Brasília (UnB), Ivan Soares, essa é a principal contribuição da New Horizons. “É difícil dizer como era a Terra há 4 bilhões de anos. Como Plutão não teve modificações por conta da distância do Sol, é possível ter um panorama de vida há milhões de anos”, explica.

O pesquisador do Observatório Nacional Júlio Camargo diz que as imagens e informações enviadas para a Terra vão servir como ponto de partida para novos trabalhos sobre os planetas: “Sem dúvida, a ciência planetária vai se beneficiar com os dados divulgados”.

Já o engenheiro aeroespacial italiano Steffano Scutti levanta que a New Horizons fecha a primeira etapa em relação a exploração espacial no sistema solar: “Agora todos os planetas clássicos foram visitados pelo menos por uma vez”. Ele também destaca que a missão deve reservar mais novidades depois de passar por Plutão: “Vale lembrar que a missão não é só para visitar Plutão, mas também descobrir outros objetos do Cinturão de Kuiper”.

Cinco fatos sobre a passagem da New Horizons em Plutão
Nesta terça-feira (14), o veículo espacial New Horizons vai fazer um voo pela órbita de Plutão (saiba como será o voo neste link). Para ajudar você a entender detalhes sobre a missão, o Portal EBC preparou uma lista de cinco fatos sobre o evento:

1 – Data marca 50 anos de exploração a Marte

O dia 14 de julho não foi escolhido à toa pela Nasa para o voo sobre Plutão. A data marca exatos 50 anos da primeira missão não-tripulada interplanetária da Agência Espacial Norte-Americana. Em 14 de julho de 1965, a sonda Mariner explorou Marte.

2 – Viagem não vai mudar entendimento sobre Plutão ser planeta-anão

Por mais que as informações que venham de Plutão sejam úteis, uma coisa é certa: a missão da New Horizons não fará Plutão voltar a ser considerado um planeta. “O que fazia Plutão ser um planeta era justamente a falta de informações sobre o assunto. Com as informações da missão, o posto de planeta-anão deve se reforçar”, diz o professor Ivan Soares, da UnB.

3 – Acompanhamento da missão só por simuladores
Dada a distância da missão e a dificuldade do envio de informações para a Terra, não haverá transmissões de imagens ao vivo da New Horizons. Acompanhar a missão só será possível por meio de um simulador no site oficial da missão (clique aqui). A página mostra eventos importantes da missão e a distância que a nave está da Terra e de Plutão.

4 – Distância da New Horizons para Plutão será bem pequena
Os 12 mil km de distância da New Horizons para Plutão serão menores do que o raio da Terra. A título de comparação, é semelhante à distância entre São Paulo e Dubai. A distância é muito menor do que a da sonda para a Terra: 4,77 bilhões de km.

5 – New Horizons é o veículo espacial mais rápido do mundo
Com velocidade alcançada de 21 km por segundo (quando passou por Júpiter), a New Horizons é até o momento o veículo espacial mais rápido já criado. A velocidade da sonda possibilitou que ela chegasse à Lua em nove horas de viagem. Só para ter uma ideia, se já estivesse em aceleração e fosse de São Paulo ao Rio, a New Horizons demoraria cerca de 20 segundos para fazer a viagem.

Você pode gostar também

Tecnologia

Celular é principal meio de acesso à internet no Brasil, mostra IBGE

O uso do telefone celular para acessar a internet ultrapassou o uso do computador pela primeira vez no Brasil. É o que aponta o Suplemento de Tecnologias de Informação e

Tecnologia

STF suspende decisão da Justiça que bloqueou o WhatsApp

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, decidiu na tarde desta terça-feira derrubar a decisão do Tribunal do Rio de Janeiro. Na decisão Lewandowski analisou ação impetrada pelo

Tecnologia

Amazon Web Services premia Guiabolso como startup brasileira mais inovadora de 2015

No último dia 27 de maio (quarta-feira), a Amazon Web Services promoveu a primeira edição de seu Summit para Startups, com destaque para o AWS Case Award, premiação que escolheu

Deixe seu comentário