Startup, o seu filho ainda vai ter uma

Alguém já disse: “eu não crio Startups porque eu não sei o que elas comem”. O termo (“istartapi”) pode até soar como novo para algumas pessoas, mas o fato é que elas, as “startups”, estão entranhadas na nossa vida. O termo significa basicamente “uma empresa muito jovem de inovação tecnológica”. Pensando assim não é difícil fazer uma lista de empresas que são ou parecem com isso: Google, WhatsApp, Facebook, Uber, Instagram e tantas outras que fazem parte do nosso cotidiano. Essas empresas são um tanto quanto diferentes das empresas, digamos, mais clássicas. Elas buscam criar um mundo muito diferente. Um exemplo, o grupo de startups chamado de “fintechs” (mistura de finanças e tecnologia) sonha, basicamente, com um mundo sem bancos. Isso mesmo, você já pensou em um mundo sem bancos? Sim, elas sonham alto. Pelo menos a maioria delas sonha.

Você pode estar pensando que isso é coisa daquele país ou daquele outro, mas eu tenho uma boa notícia: existem startups brasileiras muito interessantes. Uma evidência disso? Eu citaria dois exemplos nascidos na nossa querida Unicamp: a Griaule Biometrics e a I.Systems. Se você já ouviu falar no uso seguro da impressão digital nas eleições brasileiras ou se você conhece refrigerantes famosos que são envasados aos bilhões de litros com uma eficiência literalmente “fuzzy” você já sabe onde essas empresas brasileiras de inovação estão deixando a sua boa marca.

Em Limeira o movimento já começou. Uma startup nascida na terra das laranjas, semijoias e também das inovações está fazendo história e o nome dela é ClassApp. Se você conhece alguém que estuda no Centro Paula Souza já descobriu um exemplo de onde o aplicativo que facilita a vida de pais, professores e dos próprios alunos já está sendo aplicado. O talento brasileiro para a inovação tecnológica é real.

Além de facilitar a vida de muita gente e de ter enriquecido alguns jovens empreendedores de inovação as startups também geram muitos outros benefícios. Quando vendem suas soluções para fora elas atraem divisas para o país, além de gerarem empregos muito qualificados e de recolherem impostos aos cofres públicos. Sim, devemos valorizar as iniciativas que incentivam e fortalecem a criação de empresas deste tipo, pois os benefícios se irradiam em muitas direções e alcançam muitas pessoas.

Mas como criar startups? Bem, isso a gente vai ter que conversar em outra ocasião por uma questão de tempo, mas uma coisa não dá para negar. O tema startup vai fazer parte das suas conversas familiares até porque, muito provavelmente, alguém da sua família vai ter uma.

Você pode gostar também

Desculpe, não foram encontradas mensagens.

Deixe seu comentário