Veja como manter a imunidade alta no tempo frio

Gripes, resfriados e alergias tendem a aumentar nesta época do ano. O alerta é do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, referência no tratamento de doenças infecciosas. Aspectos como a baixa umidade do ar, as alterações de temperatura durante o dia e as aglomerações de pessoas em ambientes fechados facilitam o contágio por vírus e aumentam o número de casos de inflamações das vias respiratórias e alergias.

Sintomas
De acordo com o infectologista Ralcyon Teixeira, apesar da gripe e do resfriado apresentarem sintomas semelhantes, são provocados por vírus distintos e devem receber o diagnóstico e tratamentos adequados.

O resfriado tem sintomas mais leves, como corisa e leves dores no corpo e permanece no organismo por no máximo três dias. Já a gripe exige mais atenção, pois aparece de forma mais agressiva e prolongada, manifestando-se por febre, fortes dores no corpo, tosse seca e falta de ar.

Como evitar
Beber bastante líquido é essencial para o combate à infecção. Além disso, uma alimentação balanceada, exercícios físicos e manter o sono em dia são fatores que ajudam a manter a imunidade em alta.

O especialista salienta a importância de beber bastante água e se ater aos sintomas. “É muito importante observar os primeiros sintomas e procurar auxílio profissional imediato para evitar que um simples resfriado possa se tornar uma pneumonia ou algo mais grave”, diz ele, lembrando que a automedicação deve ser evitada.




04-02-14-resfriado




Você pode gostar também

Saúde

OMS: doações de sangue precisam aumentar em mais da metade dos países

No Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado hoje (14), a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta que as doações voluntárias e não remuneradas precisam aumentar rapidamente em mais da

Saúde

Gripe H1N1 é confirmada em criança de 6 anos

Na terça-feira (22) foi confirmado o primeiro caso da gripe H1N1 em Limeira neste ano. A paciente, uma criança de seis anos, estava internada na Santa Casa. Ela já teve

Saúde

Ministro diz que não há necessidade de fracionar vacina da febre amarela

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse hoje (10), após reunião na sede da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), na capital dos Estados Unidos, Washington, que ficou acordado que não

Deixe seu comentário