Veneza tem a maior maré dos últimos 50 anos

Veneza tem a maior maré dos últimos 50 anos

A cidade italiana de Veneza ficou inundada devido à maior maré dos últimos 50 anos. O nível da água atingiu 1,87 metro. Muitas outras praças da cidade ficaram inundadas, incluindo a de São Marcos.

Apenas uma vez, desde que há registros, verificou-se uma maré mais alta: 1,94m em 1966.

A Basílica de São Marcos ficou inundada. É a sexta vez em 1.200 anos que isso ocorre, de acordo com os dados disponíveis. Quatro dessas inundações aconteceram nos últimos 20 anos.

O pico da subida das águas ocorreu por volta das 22h da noite de ontem (12).

O presidente da Câmara de Veneza, Luigi Brugnaro, informou, pelo Twitter, que algumas escolas estão fechadas e aconselhou as pessoas a ficarem em casa. Nesta quarta-feira é esperado novo pico da maré.

Brugnaro pediu ajuda ao governo para reparar os prejuízos, afirmando que vai declarar estado de desastre.

“A situação é dramática. Pedimos ajuda ao governo. Os custos vão ser elevados. Este é o resultado das mudanças climáticas”, disse Brugnaro no Twitter.

Um projeto para proteger a cidade das marés está sendo desenvolvido desde 2003, mas tem sido marcado pelo aumento de custos, escândalos e atrasos. O plano é criar comportas flutuantes para proteger Veneza nas marés altas

Você pode gostar também

Limeira

AGU evita perdas de R$ 237,2 bilhões no primeiro semestre

A Advocacia-Geral da União (AGU) anunciou hoje (18) que a atuação do órgão evitou perda de R$ 237,2 bilhões para os cofres públicos no primeiro semestre deste ano. Os valores

Limeira

Força-tarefa limpa imóvel e resgata idosa doente

O Ceprosom (Centro de Promoção Social Municipal), por meio da Diretoria de Desenvolvimento Social e Cidadania, realizou uma força-tarefa na sexta-feira (29) na rua Pedro de Barros Sampaio, na Vila

Limeira

Resgate no Tesouro Direto supera investimento em R$ 126,39 milhões

Os investimentos em títulos do Tesouro Direto, em agosto, chegaram a R$ 1,98 bilhão, enquanto os resgates foram de R$ 2,10 bilhões, sendo R$ 1,95 bilhão em recompras e R$

Deixe seu comentário