WhatsApp pode voltar a ser bloqueado no Brasil, afirma delegado

O aplicativo WhatsApp pode voltar a ser bloqueado no Brasil, conforme informou o delegado Fabiano Barbeiro nesta quarta-feira (2).

A revelação foi feita durante entrevista à Rádio Câmara. O motivo da nova suspensão seria a falta de cooperação da empresa numa investigação que envolve o Primeiro Comando da Capital (PCC). O delegado foi responsável por solicitar o bloqueio do WhatsApp no Brasil no final do ano passado

A polícia vem solicitando a quebra de sigilo do WhatsApp para fornecer informações sobre o caso desde julho de 2015. A empresa já foi notificada e multada pelo descumprimento e, em dezembro de 2015, o Ministério Público ordenou o bloqueio dos serviços no país por 48h.

Em conversa com a Rádio Câmara, um representante do WhatsApp justificou a falta de cooperação da empresa argumentando que, como os dados trocados pelo aplicativo são criptografados, o WhatsApp não teria como fornecer as informações solicitadas pelos investigadores.

O delegado, no entanto, não considera essa justificativa plausível. Ele afirmou que quando um usuário recebe uma mensagem e não visualiza, ela fica armazenada no sistema – isso provaria que o WhatsApp possui dispositivos de armazenamento.

Você pode gostar também

Tecnologia

Facebook diz estar feliz com liberação de executivo e volta a criticar prisão

O Facebook, por meio da assessoria de imprensa, divulgou hoje (2) nota em que diz estar feliz com a soltura do vice-presidente do Facebook para a América Latina, Diego Jorge

Tecnologia

Amazon Web Services premia Guiabolso como startup brasileira mais inovadora de 2015

No último dia 27 de maio (quarta-feira), a Amazon Web Services promoveu a primeira edição de seu Summit para Startups, com destaque para o AWS Case Award, premiação que escolheu

Tecnologia

Aplicativo para surdos transforma conteúdos da internet em Libras

Uma nova versão da Suíte Vlibras foi lançada esta semana em Brasília. Trata-se de um conjunto de ferramentas digitais que amplia a acessibilidade das pessoas com deficiência auditiva a conteúdos

Deixe seu comentário