WhatsApp pode voltar a ser bloqueado no Brasil, afirma delegado

O aplicativo WhatsApp pode voltar a ser bloqueado no Brasil, conforme informou o delegado Fabiano Barbeiro nesta quarta-feira (2).

A revelação foi feita durante entrevista à Rádio Câmara. O motivo da nova suspensão seria a falta de cooperação da empresa numa investigação que envolve o Primeiro Comando da Capital (PCC). O delegado foi responsável por solicitar o bloqueio do WhatsApp no Brasil no final do ano passado

A polícia vem solicitando a quebra de sigilo do WhatsApp para fornecer informações sobre o caso desde julho de 2015. A empresa já foi notificada e multada pelo descumprimento e, em dezembro de 2015, o Ministério Público ordenou o bloqueio dos serviços no país por 48h.

Em conversa com a Rádio Câmara, um representante do WhatsApp justificou a falta de cooperação da empresa argumentando que, como os dados trocados pelo aplicativo são criptografados, o WhatsApp não teria como fornecer as informações solicitadas pelos investigadores.

O delegado, no entanto, não considera essa justificativa plausível. Ele afirmou que quando um usuário recebe uma mensagem e não visualiza, ela fica armazenada no sistema – isso provaria que o WhatsApp possui dispositivos de armazenamento.

Você pode gostar também

Tecnologia

WhatsApp voltará a ser bloqueado no Brasil

O WhatsApp, aplicativo de troca de mensagens, será bloqueado mais uma vez em todo o Brasil, após decisão judicial do Rio de Janeiro. A decisão foi feita pela juíza Daniela

Tecnologia

Modelagem de casas em 3D e animação em 2D são alguns dos temas debatidos no Senac Digital Show

Trocar experiências, ampliar o repertório profissional, conhecer o que há de mais inovador no mercado. Esses são alguns dos objetivos do Senac Digital Show, novo evento da instituição, que será

Tecnologia

Aplicativo gratuito mede velocidade da internet móvel

A Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor lançou um aplicativo para ajudar o consumidor a conferir a velocidade de sua internet móvel. O programa permite que o consumidor

Deixe seu comentário